Temporada 1 Episódio 8

  • 1.8

    Valor Sentimental

    • Comenários 0
  • O táxi de Wilson está na oficina e ele pega emprestado o carro de Jaqueline , um Karmann-Ghia ano 1968 cujo valor é incalculável para a enfermeira. Apressado para ir ao banco, Wilson estaciona o carro na rua com um suposto "flanelinha". Ao voltar, porém, não encontra mais o carro, tampouco o homem que o guardava. Temendo a reação da namorada, o tenente não entende quem poderia roubar um carro tão antigo e conversa com sua equipe.

    Neste momento, seu telefone toca e do outro lado da linha há um homem afirmando que trabalha em uma empresa especializada em recuperar carros em até 24 horas mediante o pagamento antecipado de uma taxa. O tenente resolve pagar o pedido, reconhecendo sua impotência quanto ao esquema. Uma quadrilha especializada em roubar carros antigos está prestes a ser o alvo da equipe de ‘Força-Tarefa'.

    Wilson, Irineu e Genival, aconselhados por Selma, vão até uma loja de carros usados cuja dona é uma antiga amiga da sargento e pegam emprestado dois modelos, ambos em incrível estado de conservação. O plano é estacionar os dois veículos em pontos estratégicos e observar de longe a ação dos criminosos. Selma e Wilson são os primeiros a verem o carro sendo levado pelo "flanelinha" que abordou o tenente dias antes e resolvem segui-lo. Chegando ao local, Wilson pede para Selma ir à delegacia dar queixa do roubo, para que a quadrilha inicie o contato.

    Enquanto isso, ele retira o veículo do esconderijo sem que ninguém perceba. Como esperado, a quadrilha liga para Selma logo após a queixa na delegacia. Porém, ela não sabe que o veículo não está mais com eles. Para a surpresa dos criminosos, é o tenente que faz o contato, afirmando ser da concorrência e capaz de encontrar o carro em menos de 12 horas, desde que ele seja aceito como novo membro do grupo.

Deixe seu comentário