O mundo tem visto uma série de protestos acontecendo nos Estados Unidos após a morte de George Floyd, um homem negro morto por um policial branco, na última segunda-feira (25). Mais recentemente, o movimento intitulado Black Lives Matter (Vidas Negras Importam, em uma tradução livre) recebeu o apoio público de diversos serviços de streaming

Por meio de suas redes sociais oficiais, a NetflixHuluHBOAmazon Prime Video, Starz e Quibi condenaram a violência e o racismo enraizado na sociedade norte-americana. A HBO, junto da HBO Max, inclusive, mudaram os respectivos nomes de suas contas no Twitter com a hashtag do movimento. 

Confira:

"Nem o amor nem o terror cegam: a indiferença cega." —  James Baldwin", citou o perfil oficial da HBO no Twitter.

"Se calar é ser cúmplice", publicou a conta oficial da Netflix nesta mesma rede social.

"Nós estamos com vocês", divulgou um breve comunicado do Hulu.

A imagem divulgada pela conta oficial da Amazon Prime Video lembrava de seus colaboradores negros. "Somos todos aliados na luta contra o racismo e a injustiça", ressaltou.

Jim Gianopulos, CEO da Paramount, também emitiu uma nota em nome da empresa no qual lamenta o ocorrido da semana passada, fazendo uma citação a Martin Luther King Jr. “Como nação, nosso desgosto e indignação não são suficientes. O tecido de nossa sociedade e a promessa fundamental de que todos os homens são criados iguais estão quebrados, e é responsabilidade de todos nós elevar nossas vozes e fazer parte da solução”, afirmou por meio do documento.

A morte de George Floyd foi recebida com indignação da população norte-americana pelo simples fato de ser um assassinato motivado por racismo, já que o policial Derek Chauvin o teria rendido sem necessidade e abusado da força. 

Os protestos surgiram por diversos estados do país e se espalharam também por outros países, mesmo com a pandemia do coronavírus.

A posição dos serviços de streaming é notável e mostra que essas empresas de entretenimento têm um compromisso com a diversidade racial, bem como todos nós!

Texto escrito por Matheus Rocha da Silva via Nexperts.