A pandemia do coronavírus afetou diversos segmentos mundiais, inclusive as regras estabelecidas pelo Oscar. Normalmente, as produções só podem ser indicadas com a condição de estarem em exibição nos cinemas há sete dias, mas precisou haver uma alteração que valerá para os filmes que serão selecionados para a próxima edição do Oscar, em 2021.

Esse foi o meio encontrado pela Academia para não prejudicar os lançamentos que estavam previstos para acontecer em 2020 mas que tiveram seus cronogramas alterados devido à pandemia da Covid-19. As bilheterias serão afetadas, claro, mas as produções ainda terão chances de concorrerem ao Oscar mesmo assim.

(Fonte: CBR/Reprodução) CBR/Reprodução

Mais detalhes sobre a alteração

A Academia anunciou que os filmes lançados apenas de forma digital também poderão entrar na disputa pela sonhada estatueta do Oscar. No entanto, nem todo lançamento digital automaticamente poderá entrar na disputa: para isso, é preciso que o filme já tivesse sido programado para lançar um versão própria para os cinemas. Ou seja, aqueles que já estavam prestes a fazer o lançamento, mas entraram em conflito com o imprevisto.

Além disso, os filmes precisam estar disponíveis para serem exibidos para a Academia no prazo de 60 dias após o lançamento.

Essa medida é apenas provisória. Quando a pandemia passar e os cinemas reabrirem, a regra inicial volta a valer automaticamente. O lançamento é feito normalmente e só pode concorrer ao Oscar após a exibição ao longo de sete dias no cinema.

No comunicado oficial emitido pela Academia, David Rubin, presidente, e Dawn Hudson, CEO, reforçaram que poder assistir a um filme no cinema é uma experiência mágica, mas o período de incertezas impossibilita essa oportunidade.

Eles finalizaram dizendo: “reconhecemos a importância do seu trabalho ser visto e celebrado, especialmente agora, em que a audiência aprecia filmes mais do que nunca”.

Texto escrito por Flávio Motta Coutinho via Nexperts.