Atenção, este texto pode conter spoilers.

Voltou! Finalmente, o grupo de ladrões de La Casa de Papel está de volta à Netflix. Hoje, o serviço de streaming disponibilizou os 8 novos episódios da 4ª temporada da série que é sensação no mundo todo.

Relembrando: os dois primeiros anos da série trataram de um assalto à Casa da Moeda espanhola; já o terceiro teve como trama central o assalto à sede do Banco da Espanha. Porém, essa última história foi dividida em duas partes, tendo sua conclusão agora, com a nova estreia do seriado.

Confira o trailer:

Logo de cara, a 4ª temporada de La Casa de Papel responde a alguns questionamentos que estavam em aberto, como o destino de Nairóbi (Alba Flores), baleada em uma emboscada. De maneira geral, já é possível notar que boa parte da história se passará dentro do Banco da Espanha. Porém, a pressão externa será ainda maior.

Também percebemos que as soluções para os problemas do grupo de criminosos são um tanto quanto simples, quase como se eles tivessem saídas para todos os entraves que aparecem — o que torna tudo um pouco previsível e sem emoção. Para completar, muitos dos ganchos deixados na última temporada parecem não se sustentar no novo capítulo.

Todavia, por mais que este ano de La Casa de Papel apresente um roteiro frágil, há pontos positivos para destacarmos. Um deles é a entrada de novos personagens, que ajudam a renovar a dinâmica do elenco. Agora, temos um vilão ainda mais cruel e impiedoso, que ajuda a simpatizar ainda mais com a equipe — que também é formada por vilões, na essência, mas agora passa a impressão de que é o lado oprimido da história.

La Casa de Papel: 4ª temporada traz novos personagens e roteiro previsível
(Fonte: Netflix/Reprodução)

O desenvolvimento de algumas tramas também é um ponto interessante. Desde a cruel inspetora Alicia Sierra (Najwa Nimri), cujo passado é revelado, até Tóquio (Úrsula Corberó), que toma o controle do próprio destino. Para completar, há a adição de um personagem transexual infiltrado entre os reféns, o que levanta algumas discussões sobre o assunto.    

Outro destaque são as mulheres, que se tornam líderes e realmente assumem o controle da série. Nairóbi, Tóquio e Estocolmo (Esther Acebo) são exemplos claros de força, determinação e poder ao longo do seriado.

Em suma, a nova temporada de La Casa de Papel é mais violenta, levanta questões sociais e continua divertida, mas apresenta um roteiro superficial e que não traz grandes reações para quem assiste.

De qualquer maneira, os fãs podem ficar felizes com o retorno da produção e julgar por si mesmos.

Texto escrito por Jean Foss.