O episódio 7x12 de The Blacklist foi capaz de deixar o emocional dos espectadores bem abalado, principalmente por terem sidos pegos de surpresa. 

Há um momento de relativa proximidade entre Liz e Red, mesmo que os dois possuam personalidades conflitantes no sentido de interação social. Mas o que causa o impacto é justamente isso. 

A agente faz questão de reforçar para o seu (possível) pai que eles têm um ao outro para contar.

No entanto, a questão emocional definitivamente não é o foco do episódio 7x12 de The Blacklist. Pelo contrário, ele fica restrito apenas ao final e a trama principal de “Cornelius Ruck” inclui uma festa e uma sequência de misteriosos assassinatos. 

A premissa é básica e já conhecida, mas, quando bem desenvolvida, pode se tornar bem interessante – e a série consegue fazer isso.

(Fonte: Will Hart/NBC/Divulgação) NBC 

Detalhes do episódio 7x12 de The Blacklist

A pegada do episódio é bem clássica, lembrando a fórmula da franquia 007. Red vai para a ilha super secreta que vai sediar um encontro entre outros agentes e lá ele encontra Cassandra, que já havia sido mencionada no episódio da semana passada de The Blacklist. Dentro da mansão, outros quatro indivíduos já estão esperando, mas a formação não dura muito tempo.

Após uma conversa calorosa, Margo, uma das seis pessoas na ilha, morre. Todos ficam chocados e se perguntando como aquilo aconteceu tão rapidamente. 

Quando os outros agentes vão dormir, Red chama Cassandra para ajudá-lo no processo de autópsia do corpo e a dupla constata que a causa da morte foi envenenamento. Durante a análise, eles acabam discutindo também sobre o passado que tiveram, mas isso fica em segundo plano.

As coisas ficam ainda mais complicadas porque Margo deixa de ser a única vítima do grupo. Joko tem seus dedos decepados, Annika morre após usar seu inalador para controlar um ataque de pânico e Mahmoud é morto por um tiro. 

Assim, dos seis que chegaram à ilha, continuam vivos apenas Red e Cassandra, que correm o risco de entrarem para a lista de óbitos a qualquer momento.

Como eles descobrem depois, é tudo um plano elaborado por um agente da CIA para conseguir um microdot que eles possuem. Não leva muito tempo até que Red perceba que quem está por trás daquilo tudo é Cornelius Ruck, mais conhecido como Arthur, o mordomo que recepcionou todas na ilha.

A descoberta leva a uma intensa briga entre a dupla e outros capangas que tentam derrotá-los, mas falham completamente. Por fim, ambos estão a salvo e Red tem tempo de fazer a única coisa que o resta: presenciar o recital de Agnes, levando Cassandra junto com ele e proporcionando um momento de paz após a experiência traumática de verem seus conhecidos serem mortos sequencialmente.

Nada como mais uma semana em The Blacklist!

Texto escrito por Flávio Motta Coutinho via Nexperts.