A Netflix lançou em sua plataforma a versão brasileira de The Circle, o seu reality show de sucesso que coloca os participantes interagindo somente através de uma rede social. No programa, os integrantes lutam para se tornar os mais populares entre seus amigos com o objetivo de ganharem o prêmio final de R$ 300 mil.

(Fonte: Netflix/Reprodução) Vix 
(Fonte: Netflix/Reprodução)

The Circle Brasil, apresentado por Giovanna Ewbank, recebeu seus primeiros 4 episódios, com cerca de 1 hora de duração cada, em que os primeiros participantes foram apresentados e iniciados no jogo.

O início

O jogo iniciou com 9 participantes se apresentando e criando seus perfis no The Circle. É somente através desse perfil e de um chat que os participantes poderão conversar entre si.

Como acaba acontecendo nas redes sociais mais populares em todo o mundo, nem tudo é o que parece. Alguns participantes criam perfis fakes, com fotos de outras pessoas, com o objetivo de tentarem criar profiles mais atrativos e enganar os outros concorrentes.

Os participantes

Dos 9 participantes iniciais, 6 criaram seus perfis usando suas fotos, nomes e dados reais. São eles: Gaybol, JP, Marina, Ana Carla, Dumaresq e Lorayne. Dos outros 3, 2 criaram perfis totalmente fakes — Loma é Lucas enquanto Rob se torna a Julia. Já Akel, um jovem de 20 anos, usou suas fotos e nome real, porém, em seu perfil, ele tem 30 anos.

Os relacionamentos

Desde o começo, alguns dos participantes começaram a se destacar perante os outros. Dumaresq, Lorayne e Marina chamam atenção por serem mais extrovertidos. Dumaresq é o que mais bota lenha na fogueira durante as conversas no chat, sempre provocativo e direto em suas mensagens. Lorayne ganha força pelo seu carisma e humor, sendo uma menina “caipira moderna”. Marina conquista pela sua sinceridade e carisma.

Já os participantes JP, Akel e Lucas, ficam no grupo intermediário. JP, um bombeiro bonito acaba chamando atenção de algumas mulheres — principalmente Ana Clara —, no entanto, sua falta de humildade ao se considerar o mais atraente entre os participantes acaba atrapalhando um pouco seus relacionamentos. Com o passar do tempo, alguns começam a questionar se JP seria real ou um fake.

Akel, apesar de também se considerar o participante mais bonito, aborda uma tática de não tentar ser o centro das atenções. Ele vai criando relacionamentos fora dos holofotes de todos. Ele tenta se aproximar de Lorayne para formar um casal. Nas conversas, Lorayne se diz aberta, porém, ela desconfia dos motivos.

Lucas se demonstra muito tímido e apagado no jogo. Marina tenta se aproximar dele, porém, ainda sem muita profundidade.

Os possíveis fakes

Gaybol, um gamer, nerd e youtuber, vira alvo desde o início por muitos participantes o considerarem fake. Na verdade, é só falta de prática no convívio social do garoto mesmo.

Rob, como Julia, mostra desde o início sua falta de noção. Ele tenta usar as fotos de sua bela amiga, no entanto, seu comportamento de “tiozão” acaba o afastando dos outros participantes.

Já Ana Carla foi taxada como fake desde o começo por ser modelo e miss Paraíba. E, assim como na versão norte-americana do reality — a modelo foi a primeira a ser bloqueada pelos outros participantes. Na versão americana, Alana, modelo, foi bloqueada logo no início por também a considerarem fake.

Novos participantes

Assim que Ana Carla é bloqueada, os gêmeos Lucas e Marcel entram para o jogo como a digital influencer Luma.

Novos episódios

Nas duas próximas quartas-feiras, The Circle Brasil irá receber mais 4 episódios, totalizando 12.

Texto escrito por Marcelo de Morais via Nexperts.