Na última quarta-feira (26), as séries Chicago PD e Chicago Fire tiveram um crossover bastante movimentado. Neste episódio, tivemos o desenrolar da história que deixou fortemente implícito que Sean Roman (Brian Geraghty – ex-ator regular de Chicago PD) foi o responsável pela morte do traficante de drogas e namorado de sua irmã.

Chicago PD 7x15: “absolvições” movimentam o episódio (RECAP)
(Fonte: CW/Divulgação)

Roman resolveu agir desta maneira e fazer justiça com as próprias mãos após encontrar o corpo de sua irmã mais nova congelado na neve.

Mesmo com as atitudes tomadas por Roman, o Sargento Hank Voight resolveu não interferir e deixar que Sean seguisse livre. “Logan Peters teve o que merecia. Quanto à pessoa responsável, continuaremos nossa investigação, mas não é mais uma prioridade”, disse ele sobre o caso.

Burgess finalmente confrontou, de uma maneira interessante, Ruzek depois de encontrar as fotos do ultrassom no armário dele. Ela esperava que Ruzek estivesse tão bravo quanto ela está consigo mesma. “Eu não deveria estar envolvida nisso! Eu não deveria estar no motel! Eu não deveria perder o bebê! Você não entende isso? Não quero piedade e não quero apoio! ”, bravejou Burgess.

Chicago PD 7x15: “absolvições” movimentam o episódio (RECAP)
(Fonte: CW/Divulgação)

No funeral de sua irmã, Roman conversou com Burgess, elogiando-a sobre a maneira que ela se comportou em relação aos acontecimentos recentes e como devem seguir em frente e buscar sempre serem pessoas melhores. Burgess acabou refletindo sobre e, ao que parece, conseguiu perdoar-se um pouco. “Eu acho que você está certo. Talvez devêssemos ser obrigados a suportar essa dor”, respondeu ela à Roman.

Comentários da equipe

Após o episódio, o showrunner de Chicago PD, Rick Eid, comentou com o site TV Line sobre a conversa de Burgess e Roman. “A ‘idéia de absolvição’ de que Roman falou em seu discurso realmente ressoou em Burgess e a ajudou, em algum nível, a se sentir melhor com sua própria situação. Burgess carregou muita culpa pelo que aconteceu e acho que ouvir o elogio dele a ajudou”.

Já sobre o desfecho de Roman, Geraghty se disse satisfeito. “Pessoas más não prevalecerão. Essa é a mensagem, boas pessoas prevalecerão, independentemente do que diz a lei real. Então eu gostei do final. Eu achei divertido. Eu pensei que era um pouco arriscado também”.

Texto escrito por Marcelo de Morais via Nexperts.