A série Friends continua a ser uma das séries mais populares da atualidade, mesmo tendo encerrado em 2004. Um dos grandes motivos de sua contínua popularidade é a sua presença em diversas plataformas de streaming espalhadas por todo o mundo. Novos públicos estão conhecendo a série, e isso acabou tornando Friends alvo de diversas críticas por parte desses novos espectadores.

Dentre as críticas, a série é acusada de ter pouca diversidade em seu elenco e até mesmo de piadas descabidas, com teor sexual, que não se encaixam mais nos padrões da sociedade em 2020.

David Schwimmer, que interpretou o personagem Ross Geller na série, saiu em defesa do programa em uma conversa com o site The Guardian. “Eu não ligo [para as críticas atuais]. O programa foi inovador em sua época pela maneira como lidava com sexo casual, o sexo seguro, casamento gay e relacionamentos. O piloto da série trazia a esposa do meu personagem que o deixou por uma outra mulher e houve um casamento gay, da minha ex e da esposa dela, que eu participei”.

David Schwimmer defende Friends das críticas pela falta de diversidade
David Schwimmer, o Ross de Friends, defende a série de acusações feitas pela falta de diversidade no elenco. (Fonte: Ali Smith/The Guardian/Reprodução)

Para David, grande parte das críticas feitas hoje não levam em consideração o contexto no qual a série se encontrava. “Você tem que olhar do ponto de vista do que o programa estava tentando fazer na época. Sou a primeira pessoa a dizer que talvez algo fosse inapropriado ou insensível”.

O ator também — ironicamente — defendeu que pudesse haver uma versão de Friends só com atores negros ou asiáticos. David ainda acrescentou que sempre esteve consciente destas questões sociais, mesmo na época em que a série foi produzida. “Eu estava ciente da falta de diversidade e fiz campanha por anos para que Ross namorasse mulheres negras. Uma das primeiras namoradas que tive no programa foi uma mulher asiática-americana e depois namorei mulheres afro-americanas. Foi um empurrão muito consciente da minha parte”.

“É interessante também como o programa lidou com o judaísmo. Fiquei feliz por termos pelo menos um episódio em que não era apenas sobre o Natal. Era também o Hanukkah”, concluiu o ator.

Texto escrito por Marcelo de Morais via Nexperts.