Dolittle, o novo filme do eterno Tony Stark, Robert Downey Jr., chega aos cinemas nesse final de semana nos EUA, com previsões de se tornar um grande fracasso de arrecadação nas bilheterias.

Essa é a primeira tentativa de Downey Jr. em navegar por outras franquias após o encerramento de suas participações em Vingadores. Porém, Dolittle vem sofrendo duras críticas por parte da imprensa, como a de David Sims, do The Atlantic, que considera o filme como “um dos piores fiascos cinematográficos que já vi”.

Dolittle, novo filme de Robert Downey Jr., deve fracassar nas bilheterias
(Fonte: Universal/Divulgação)

Nem mesmo todo o carisma de Robert Downey Jr. deve fazer o filme, que teve um investimento acima de US$ 180 milhões — devido a diversas refilmagens que tiveram que ser feitas para sua a conclusão —, escapar de ser o primeiro grande fracasso dos cinemas em 2020.

Jeff Bock, analista de mídia da Exhibitor Relations — empresa de pesquisa e dados sobre entretenimento nos Estados Unidos, incluindo as prospecções de bilheterias —, comentou sobre o iminente fracasso de Downey Jr. e Dolittle. “Robert Downey Jr. é um tesouro nacional, e seu sucesso com Homem de Ferro e Vingadores consolidou seu status entre os blockbusters. Dito isso, ele realmente não tem superpoderes que podem prever ou impedir as forças do mal de o levarem ao fracasso nas bilheterias. Em Hollywood, você é apenas tão bom quanto seu último projeto, e se Dolittle fracassar, ele [Downey Jr.] estará em baixa, mas certamente não está fora do mercado”.

Antes de ser lançado, o filme chamou bastante atenção por seu grande potencial. A 20th Century Fox e a Sony entraram na disputa com a Universal para a sua distribuição. A Universal venceu o duelo, porém, demonstra preocupação com há algum tempo. O filme foi dirigido por Stephen Gaghan, no entanto, a Universal trouxe os cineastas Chris McKay (Lego Batman: O Filme) e Jonathan Liebesman (As Tartarugas Ninjas) para auxiliarem na finalização dos efeitos visuais do filme.

Dolittle chega no dia 20 de fevereiro nos cinemas do Brasil.

 

Este texto foi escrito por Marcelo de Morais via nexperts.