O Bafta, a principal premiação do cinema britânico, divulgou a lista de indicados para a edição de 2020 do evento. Logo após o anúncio, a academia britânica foi alvo de críticas por ter somente atores e atrizes brancos indicados às 20 vagas de prêmios de melhores atuações (melhor ator, melhor atriz, melhor ator coadjuvante, melhor atriz coadjuvante).

Bafta culpa a indústria do cinema pela falta de atores negros indicados
(Fonte: /Reprodução)

Representantes do Bafta se pronunciaram sobre a polêmica, culpando toda a indústria cinematográfica pela falta de atores negros em papéis relevantes nas produções. “Gostaríamos que houvesse mais diversidade nas indicações, mas isso continua sendo um problema em toda a indústria. Gostaríamos de ver indicações mais diversas e trabalharemos para impulsionar mais o setor. Mas isso não deve desmerecer aqueles que foram indicados este ano”, declarou a diretora de premiação do Bafta, Emma Baehr.

O próprio presidente do comitê de cinema do Bafta, Marc Varuelson, disse que a falta de diversidade nos indicados é irritante. “Irritante falta de diversidade nos nomeados para atuação. É uma frustração que o setor não esteja se movendo tão rápido quanto certamente toda a equipe do Bafta gostaria”.

A falta de indicados negros não ficou restrita somente às categorias de atuação. Entre os mais de 160 nomes indicados em todas as categorias, menos de 5 são negros, além das poucas indicações para asiáticos, mesmo com grandes produções envolvendo orientais, como ParasitaThe Farewell e As Golpistas, por exemplo.

Outro fator que incomodou o público e os integrantes do Bafta, foi a falta de indicações femininas ao prêmio de Melhor Diretor. A academia britânica prometeu que a próxima edição do seu programa de apoio a novos talentos, o Elevate, será focado em diretoras mulheres.

 

Este texto foi escrito por Marcelo de Morais via nexperts.