Nesta sexta-feira (18), a Netflix coloca em seu catálogo A Lavanderia, filme de Steven Soderbergh (de Magic Mike e Erin Brockovich, Uma Mulher de Talento) que dramatiza o escândalo de sonegação de impostos e evasão de divisas dos Panama Papers.

Os dois sócios do já extinto escritório de advocacia panamenho por trás do esquema, a Mossack Fonseca, estão processando a empresa de streaming alegando violação de marca registrada e exigindo que o filme não seja lançado.

Netflix está sendo processada por A Lavanderia(Fonte: Netflix/Divulgação)

Segundo o processo, divulgado pelo Deadline Hollywood, a Netflix estaria “difamando e retratando os acusadores como advogados implacáveis que estariam envolvidos em lavagem de dinheiro, evasão de impostos, suborno e/ou outras condutas criminosas. As implicações e insinuações convergem para retratar os acusadores como mestres criminosos. (...) O trailer e filme da parte acusada claramente difamaram os acusadores, falsamente os retratando como criminosos”. O departamento jurídico da Netflix já está contra-atacando.

Netflix está sendo processada por A Lavanderia(Fonte: Netflix/Divulgação)

A Lavanderia é estrelado por Meryl Streep na pele de uma viúva que começa a investigar por conta própria o esquema de fraude. Gary Oldman e Antônio Banderas vivem Jürgen Mossack e Ramón Fonseca, os dois sócios do escritório. Na vida real, o escândalo tomou proporções globais quando uma denúncia anônima vazou para a imprensa mais de 11 milhões de documentos que atestariam o crime. Sharon Stone completa o elenco estrelado.

Veja também: A Lavanderia: filme da Netflix traz Meryl Streep expondo fraude financeira (trailer)

Este texto foi escrito por Luiz Gustavo Vilela via nexperts.