A gigante do streaming, Netflix, está em negociações com grandes redes de cinema americanas para conseguir que o seu filme O Irlandês tenha uma chance na disputa ao Oscar 2020. O longa de Martin Scorsese tem Robert De Niro, Al Pacino e Joe Pesci interpretando mafiosos da vida real.

Uma das regras de elegibilidade para a premiação da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas é que os filmes tenham sido exibidos por pelo menos 7 dias consecutivos em um cinema de Los Angeles, com o mínimo de três exibições por dia. Para isso, a Netflix está tentando negociar com redes como AMC e Cineplex, mas elas estão impondo a condição de que o filme fique ao menos três meses em cartaz antes de entrar na plataforma de streaming.

“Estamos conversando com a Netflix sobre O Irlandês e outros filmes dela, mas o resultado dessas conversas ainda não é claro,” revelou Adam Aron, Chefe Executivo da AMC ao jornal americano The New York Times.

(Fonte: Netflix/Youtube)

O Irlandês promete ser um dos filmes mais ambiciosos de Scorsese e usará tecnologia de efeitos visuais para rejuvenescer De Niro, Pacino e Pesci para que eles possam interpretar os mafiosos Jimmy Hoffa, Frank Sheeran e Russell Bufalino durante várias décadas. O filme teve um generoso orçamento de US$ 159 milhões para ser produzido.

Enquanto o filme está programado para estrear oficialmente no dia 27 de setembro, no Festival de Cinema de Nova Iorque, o seu futuro ainda é incerto. Caso o impasse com as redes grandes não se resolva, a empresa possivelmente precisará negociar com redes menores para poder concorrer ao Oscar, assim como fez com o premiado Roma, de Alfonso Cuarón, no ano passado.

A matéria "Netflix briga para colocar O Irlandês nos cinemas e concorrer ao Oscar" foi escrita por Carolina Bernardi via nexperts para o TecMundo, um site da empresa NZN assim como o Minha Série.