A franquia MIB: Homens de Preto retorna ao cinema em um semi-reboot estrelado pela dupla Chris Hemsworth e Tessa Thompson (o Thor e a Valquíria do Universo Marvel), sob o comando do diretor F. Gary Gray (de Velozes e Furiosos 8 e Straight Outta Compton).

A produção reapresenta a agência mais do que secreta — agora em nível internacional —, conhecida por apagar a memória das pessoas que, porventura, descobrem que alienígenas vivem disfarçados entre os humanos na Terra.

O filme original de 1997, com Will Smith e Tommy Lee Jones, foi um sucesso absoluto de crítica e público (com US$ 590 milhões nas bilheterias mundiais), mas rendeu duas continuações bem medianas, em 2002 e 2012. Agora, com os agentes J e K "aposentados", entram em cena os personagens H e M.

Humor e tropeços em MIB: Homens de Preto Internacional (crítica)Tessa Thompson (M) e Chris Hemsworth (H) são os novos agentes da MIB (Sony Pictures)

Hemsworth e Thompson já haviam comprovado a boa química e o timing para o humor em Thor: Ragnarok e repetem a parceria em MIB: Homens de Preto Internacional; que, se funciona, é devido ao talento da dupla nos papéis principais.

Homens (e Mulheres) de Preto

O astro de Vingadores interpreta um "herói" da agência MIB em Londres, famoso por salvar o Planeta durante uma missão em Paris, sendo considerado o melhor agente em campo, apesar de certa imprudência e excesso de confiança. Thompson, por sua vez, vive a agente novata M, uma nova-iorquina que desde pequena sonhava em se tornar uma Mulher de Preto e, em sua prova de fogo, precisa investigar uma ameaça alienígena ao lado de H.

Os fãs da franquia talvez sintam falta de mais brincadeiras e referências a possíveis extraterrestres entre os humanos (há uma edição de cena hilária feita especialmente para os brasileiros!) e também de um pouco mais de contextualização sobre o trabalho da MIB fiscalizando a atividade dos alienígenas (como o original de 1997 fez muito bem).

Humor e tropeços em MIB: Homens de Preto Internacional (crítica)Emma Thompson rouba a cena em MIB: Internacional (Sony Pictures)

Por outro lado, o longa-metragem aposta na construção de seus protagonistas, em especial da agente M de Thompson — o que é uma grata surpresa. A atriz parece se divertir no papel, e é a narrativa de sua personagem que reapresenta o universo de Homens de Preto ao público. Ao mesmo tempo, Thompson vive uma heroína admirável: obstinada em seus objetivos, habilidosa em campo, inteligente e com um ótimo senso de humor.

Ao seu lado, Hemsworth volta a fazer bom uso de sua beleza e seu carisma para divertir os espectadores como um sujeito meio pateta, meio atrapalhado, que possivelmente tem mais sorte do que deveria. O encontro dessas duas personalidades conflitantes, sustentado no talento cômico da dupla de atores, cria uma ótima dinâmica nas telas.

Por último, mas não menos importante, a participação de Emma Thompson no papel da diretora da agência MIB norte-americana é simplesmente impagável. Apesar do pouco tempo de tela, suas cenas valem o ingresso.

O que não funciona em MIB: Internacional

É uma pena, porém, que a trama de MIB: Homens de Preto Internacional seja tão previsível e se encerre de maneira tão insatisfatória. O roteiro começa a dar sinais de tropeço no caminho, mas definitivamente perde o rumo no terceiro ato, quando os agentes enfrentam o "chefão final" e todos os supostos mistérios são revelados (entre diálogos embaraçosos).

Curiosamente, as cenas de ação também deixam a desejar, mesmo para um diretor gabaritado no gênero, como F. Gary Gray. Causa estranhamento o fato de o filme contar com alienígenas criados por computação gráfica e, ao mesmo tempo, apresentar sequências com efeitos digitais ruins (para citar uma em particular: a perseguição de moto) que chegam a prejudicar a experiência.

Humor e tropeços em MIB: Homens de Preto Internacional (crítica)H e M em ação (Sony Pictures)

Outro ponto de incômodo é o ator Liam Neeson, que não apenas faz um papel sofrível mas também está publicamente manchado desde seus tweets racistas no começo do ano — e não há apagador de memórias no mundo para quem acompanhou essa história.

Com essa inconsistência, MIB: Internacional fica abaixo do esperado para o potencial da franquia Homens de Preto, mas deixa a esperança de que seus aspectos bons e suas melhorias (a dinâmica dos atores, as Mulheres de Preto) possibilitem uma sequência com mais refinamento.

MIB: Homens de Preto Internacional estreia nesta quinta-feira (13 de junho) nos cinemas brasileiros.