O canal AMC começou a exibir em junho a série NOS4A2 (lê-se Nosferatu), baseada no livro de mesmo nome escrito por Joe Hill. Quem acompanha o mundo do horror conhece o autor tanto por seus romances, como "Amaldiçoado", adaptado para o cinema e estrelado por Daniel Radcliffe, como também por ele ser filho de ninguém menos que Stephen King, criador de "O Iluminado", "It: A Coisa", "A Torre Negra" e "Carrie, a Estranha", entre tantas histórias de suspense e terror. O curioso é que esses dois universos podem estar mais ligados do que parece à primeira vista.

Na série, Vic McQueen (Ashleigh Cummings) é uma jovem artista que consegue conjurar uma ponte que a leva a objetos e pessoas perdidas. Essa habilidade a coloca no caminho de Charlie Manx (Zachary Quinto), um "Drácula das estradas americanas" que sequestra crianças e rouba sua juventude para se manter vivo. O que resta das pobres almas é levado para Christmasland, onde sempre é Natal e a tristeza é proibida. O confronto entre as duas figuras, McQueen e Manx, é inevitável.

NOS4A2: Stephen King e seu filho dividem o mesmo universo ficcional?

Segundo o site CBR, nos dois episódios que já foram ao ar é possível ver uma série de referências a outras histórias. No mapa dos EUA que Manx usa para se localizar está, por exemplo, a Casa da Árvore da Mente (The Treehouse of the Mind, no original), em referência a "Amaldiçoado"; e até a Fechadura Lovecraft (Lovecraft Keyhole, no original), que está em "Locke & Key", quadrinho escrito por Hill com arte do chileno Gabriel Rodriguez.

As referências não param por aí. Ainda no mapa, no Maine aparece o Circo Pennywise, em referência ao terrível palhaço de "It"; a Prisão Shawshank, de "The Shawshank Redemption"; e True Knot, de "Doctor Sleep", a continuação de "O Iluminado". Todos, é claro, são romances ou contos de Stephen King.

Isso poderia significar que NOS4A2 se passaria no mesmo universo das histórias de King? Especialmente considerando que todas são ligadas pelos romances de "A Torre Negra"? Não necessariamente. Ainda segundo o CBR, o próprio Hill admitiu que essas referências são apenas pequenas brincadeiras com a expectativa das pessoas.

Este texto foi escrito por Luiz Gustavo Vilela Teixeira via nexperts.