A 3ª temporada de The Handmaid’s Tale estreou na última quarta-feira (05) nos Estados Unidos, com o serviço de streaming americano Hulu já disponibilizando os três primeiros episódios, e o grande mote do novo ano da série é a promessa de rebelião das mulheres de Gilead.

Em entrevistas a Entertainment Weekly e Variety, Elizabeth Moss comentou a nova atitude de June com relação ao sistema, enquanto Yvonne Strahovski tentou explicar o estado mental de Serena Joy para tomar aquela decisão chocante no final da season premiere. Espere alguns spoilers do episódio 3x01 de The Handmaid’s Tale a seguir.

Sobre a nova missão da protagonista, Moss disse à Variety: “Ela tem que se tornar a pessoa que fará qualquer coisa, que irá mais longe do que qualquer outra pessoa, que colocará o bem maior na frente de todo o resto. Ela tem que chegar a esse ponto para liderar a resistência e fazer o que precisa ser feito.”

The Handmaid’s Tale: atrizes falam de mudança em June e Serena Joy

No entanto, a atriz deixa claro que não será tão fácil como June esperava. A começar pelos aliados que ela achou ter e que não necessariamente estarão prontos para voltar a cooperar, caso do Comandante Lawrence e de Serena.

“Um dos maiores pontos fortes de June é também uma das suas maiores fraquezas, que é a sua capacidade de acreditar no lado bom das outras pessoas. E ela realmente acredita em Serena; ela realmente acredita em sua capacidade de fazer a coisa certa e sua capacidade de ser uma mãe e fazer a coisa certa para seu filho e para as outras crianças de Gilead”, continua. “Mas foi um erro. Há pessoas que agem apenas por interesse próprio. E isso é uma descoberta que June tem que fazer, e ela faz do jeito difícil.”

Em defesa de Serena Joy, para muitos o momento em que ela bota fogo na casa dos Waterford na cena final do primeiro episódio da nova temporada indica uma possibilidade de redenção. Ou poderia apenas ter sido um momento de desespero?

The Handmaid’s Tale: atrizes falam de mudança em June e Serena Joy

“Na minha opinião, parece que as coisas estão tão ruins para Serena, ela está tão entorpecida pelas emoções de tudo o que fez, que talvez ela esteja em um lugar onde é incapaz de se perdoar, perdoar Fred e tudo ao seu redor”, disse Strahovski à EW. "Ela simplesmente não se importa mais. É um movimento de rebelião, saindo deste entorpecimento, onde ela simplesmente não dá a mínima mais para consequências.”

Falando sobre o aspecto mais pesado e obscuro da série, Moss reitera que – apesar de tudo – a mensagem da 3ª temporada de The Handmaid’s Tale também é positiva e trata, mais do que tudo, de esperança. "Acho que há uma esperança incrível em uma mulher e em um grupo de mulheres que não desistem da luta e estão tentando fazer a coisa certa e lutando por sua liberdade. Eu realmente acredito que há esperança na história de uma sobrevivente que se recusa a desistir", completa.

No Brasil, as primeiras temporadas de The Handmaid’s Tale estão disponíveis no serviço de streaming GloboPlay.