A crítica presente no Cannes Film Festival parece ter recebido com bastante entusiasmo a nova produção de Quentin Tarantino: Era Uma Vez em… Hollywood.

O filme, que se passa em 1969, traz a história de um decadente astro de western, Rick Dalton, (Leonardo DiCaprio) e seu leal dublê, Cliff Booth (Brad Pitt), que vivenciam o fim da era de ouro de Hollywood enquanto os Estados Unidos estão às voltas com os assassinatos cometidos pelo delirante Charles Manson, que tira a vida da atriz Sharon Tate (Margot Robbie).

A audiência da primeira exibição pública do filme parece ter reagido muito bem ao que viu na tela. Segundo relatos, o longa teria sido ovacionado por longos 6 minutos pela plateia. O tempo exato de aplausos não podemos garantir, mas uma coisa é fato: pelas críticas publicadas em veículos importantes nos dias que se seguiram à première, podemos esperar um filmão para fã de Tarantino nenhum botar defeito.

Veja o que foi dito sobre Era Uma Vez em… Hollywood

Peter Bradshaw (The Guardian) deu 5 estrelas ao longa e o comparou com outras obras de peso do cineasta, como Pulp Fiction e Bastardos Inglórios. "Chocante, emocionante, deslumbrantemente filmado" foram alguns dos elogios usados por ele no texto. "O público provavelmente vai experimentar prazer a cada momento desse filme e inversamente sentir o horror, a crueldade e suas consequências alucinatórias", escreveu ele.

Novo filme de Tarantino repercute bem em première na França Imagem: página oficial do filme

Outro a classificar a produção com 5 estrelas foi Robbie Collin (The Telegraph): “o extraordinário 9º filme de Tarantino, uma tarantinização vagamente sem regras dos terríveis eventos (assassinatos) que ele revela com uma 'alegre toxicidade'".

Como não existe unanimidade no cinema, houve críticas menos elogiosas. Eric Kohn (IndieWire) deu ao longa uma nota B: "[O filme parece] uma visão abrangente da indústria cinematográfica em 1969, mas a infecciosa carta de amor de Tarantino não tem muito enredo. Em vez disso, o filme mais estranho do cineasta mescla a Hollywood pré-Manson e o espectro iminente do hippie. O resultado é um mashup cultural desequilibrado visto pelo exuberante filtro cinematográfico do diretor".

Sem spoilers, a pedido de Tarantino

Sobre o enredo, por ora fica mesmo difícil saber muitos detalhes. O próprio Tarantino pediu aos críticos, jornalistas e todos que estiveram presentes na sessão na Croisset que evitassem dar detalhes demais sobre a trama ao falar do filme.

“Eu amo cinema. Vocês amam cinema. Essa é a jornada de descobrir uma história pela primeira vez. O elenco e a equipe trabalharam tão duro para criar algo original que eu só peço que todos evitem revelar qualquer coisa que possa privar as futuras plateias de ter a mesma experiência", pediu o diretor em um comunicado publicado na conta da distribuidora Sony Pictures no Twitter.

O filme tem estreia prevista para o dia 26 de julho nos Estados Unidos e, além do trio protagonista, tem outros grandes nomes no elenco, entre eles Al Pacino, Dakota Fanning e Lena Dunham.

Este texto foi escrito por Luciana da Silva via nexperts.