O cineasta Steven Spielberg não faz mais parte do seriado Bull. Ele era produtor-executivo representando a sua própria companhia, a Amblin Television. Os outros co-presidentes da Amblin, Justin Falvey e Darryl Frank, também deixaram os cargos na série da CBS.

Segundo o site Deadline, não há um comunicado oficial da produtora com os motivos que levaram a equipa a abandonar o projeto, mas tudo indica que isso é uma consequência da insistência em renovar a série para uma quarta temporada, decisão que foi confirmada recentemente pelo canal junto de outros cinco programas.

Apesar de extremamente elogiada e muito popular em audiência, Bull vive momentos turbulentos nos bastidores. A atriz Elisa Dushku (Buffy, Dollhouse) conseguiu no fim de 2018 um acordo multimilionário com a CBS após graves acusações de assédio contra o protagonista da trama, o ator Michael Weatherly (NCIS). Ela foi demitida da série logo em seguida, enquanto Weatherly permaneceu no elenco após confessar que teve comportamentos "nada engraçados ou apropriados" no set. Ainda assim, ele nega que tenha participado da decisão do corte.

Bull: Steven Spielberg deixa a série após renovação e acusação de assédio contra atorElisa Dushku e Michael Weatherly em cena de Bull (CBS).

Spielberg e a produtora Amblin em geral são defensores ativos de movimentos como o Me Too e o Time's Up, que lutam para acabar com o assédio sexual e agressões na indústria do entretenimento — com importantes reflexos na sociedade em geral desde os primeiros casos, envolvendo Harvey Weinstein. Por isso, o cineasta decidiu não ter mais o nome envolvido no projeto.

Este texto foi escrito por Nilton Kleina via nexperts.