Atenção: esta publicação contém spoilers do episódio 1x09 de Whiskey Cavalier.

O relacionamento entre o agente do FBI, Will Chase, e a agente da CIA, Frankie Trowbridge é, provavelmente, um dos pontos mais fortes de Whiskey Cavalier. A dinâmica de liderar um time de espiões, enfrentar as burocracias do sistema e um leve toque de flerte instigam o público a querer ver até onde eles irão. Esse foi um dos assuntos sobre os quais Scott Foley falou em entrevista à revista Entertainment Weekly.

Whiskey Cavalier: Scott Foley comenta relacionamentos e sentimentos de Will

Ao ser questionado se veremos alguma progressão no status de relacionamento de Will e Frankie, Foley elaborou uma longa resposta: “Nós vimos o ‘será que eles vão ou não?’ antes, seja em Friends, em Castle ou em Moonlighting. Existe uma tensão que é necessária quando interpretamos esses papéis nessas séries”. E complementa: “Eu gosto de ‘às vezes juntos, às vezes não’, talvez dependendo de aonde eles irão no final desta temporada ou da próxima. Mas a dinâmica entre esses dois personagens é algo que abordamos em todos os episódios.”

Sobre isso, o ator destaca: “Em um episódio, Will está a fim dela e talvez tente um beijo e não ganhe. Em outro, ela acredita que Will é o cara para ela, mas ele faz algo para estragar tudo”. Foley ainda joga uma esperança para os fãs do possível casal: “Brincaremos bastante com essas tramas, essas dinâmicas interpessoais, mas quando chegarmos ao final da temporada haverá definitivamente uma progressão, de um jeito ou de outro. O que acha?”.

Whiskey Cavalier: Scott Foley comenta relacionamentos e sentimentos de Will

Mas a entrevista não se limitou a romance. Afinal, no episódio 1x09, Will teve a sua identidade revelada e acabou capturado. Como o agente enfrentará isso? “Algumas coisas bem pesadas acontecem com ele, mas Will consegue manter uma fachada e encontrar humor na situação”, explica Foley, reforçando também que o foco não foi no sentimentalismo do personagem, mas sim no time. “Como o time conseguirá entender como seguir Frankie e ajudar Will?”

Foley também foi questionado sobre como balancear um personagem que está sempre envolvido em ação, mas, ao mesmo tempo, é superemotivo. “Isso, para mim, é a beleza do personagem. Ele não é o que você espera quando escuta ‘líder de equipe do FBI’, ‘espião internacional’. Você pensa em Jason Bourne ou James Bond — leal, sem emoções, muito sério.”

Whiskey Cavalier: Scott Foley comenta relacionamentos e sentimentos de Will

“Para mim, esse estereótipo parece muito ultrapassado. Hoje em dia, não é algo com que as pessoas se relacionem muito.” Foley compara Will a seu personagem de Scandal, Jake Ballard. “Para mim é mais fácil interpretar Will da forma como ele é escrito. Jake Ballard é muito mais como você esperaria que Will fosse. Ele é muito sério, sem um grande senso de humor. Um estereótipo do que você imagina de um super-herói.”

Diante disso, “poder interpretar Will Chase e dar-lhe senso de humor, amor pela família e uma vulnerabilidade que você não vê nesse tipo de personagem é exatamente o que eu queria depois de interpretar Jake Ballard por tanto tempo”, finaliza.

Você está curtindo Whiskey Cavalier? O que acha de um herói emotivo como Will?

Este texto foi escrito por Carolina Bernardi via nexperts.