Atenção! O texto a seguir discute o episódio de estreia da 2ª temporada de Killing Eve, com spoilers sobre a trama. A leitura é recomendada aos fãs que já assistiram à season premiere e desejam debater o capítulo.

A 2ª temporada de Killing Eve começa imediatamente na sequência dos eventos apresentados na última season finale (precisamente 30 segundos depois), com a assassina psicopata Villanelle em fuga após ter sido esfaqueada pela agente Eve na cama de seu apartamento.

O episódio de estreia lida com o estado físico e emocional dessas duas mulheres, especialmente pela complicada relação que elas construíram — em um misto de obsessão, medo e atração —, que culminou no intenso e íntimo encontro do final da temporada passada.

A season premiere começa com Eve saindo em busca de Villanelle, ainda em choque por sua ação de atacar a assassina e sem saber se ela sobreviveu ao golpe. “Acho que eu posso ter matado ela”, confessa a agente diante de um casal apaixonado em um banco de parque.

Villanelle, por sua vez, manipula um motorista de táxi (jogando-se em cima do carro) para conseguir transporte até um hospital. Com seu jeitinho dissimulado, a assassina engana os médicos para explicar a origem de seus ferimentos e obter a proteção de que precisa para não ser identificada nem localizada enquanto se recupera.

A agente e a assassina podem até se afastar geograficamente no primeiro episódio da temporada, mas não poderiam estar mais ligadas uma à outra. Villanelle, por exemplo, encontra até uma justificativa para a facada de Eve, compreendendo o ato como um gesto de amor: “Ela fez isso para mostrar o quanto se importa comigo”, diz para um garoto que também está em tratamento no hospital.

Villanelle faz sua primeira vítima na temporada

A narrativa de Villanelle com o menino Gabriel, aliás, sintetiza o que há de melhor em Killing Eve: sempre nos deliciando com um humor afiado (com o perdão do trocadilho) para em seguida nos chocar com as reviravoltas mais surpreendentes.

Nesse caso, o período da serial killer no hospital rende cenas de uma brutal e hilária honestidade. “Você parece uma pizza”, informa a assassina para o garoto ao retirar os curativos de seu rosto. Para ser justo, Gabriel pediu para Villanelle falar a verdade, mas mal sabia ele que estava tratando com uma psicopata! Revirando os olhos diante das lamúrias e lamentações do garoto, Villanelle decide acabar com o sofrimento (de ambos) quebrando o pescoço do colega de quarto e fazendo sua primeira vítima na temporada.

Após deixar sorrateiramente o hospital, Villanelle pega “carona” no porta-malas do carro de uma família (coitados!) em direção a Londres — e a sua “namorada” Eve. A season premiere termina com as protagonistas pensando uma na outra, sugerindo que um reencontro não está muito longe de acontecer.

Killing Eve é secretamente uma comédia?

Em meio à relação obsessiva, a conflitos interpessoais e mortes chocantes, Killing Eve segue nos divertindo com seu humor peculiar e frequentemente insano, com sucessivas quebras de expectativas que nos surpreendem cada vez mais.

Outro exemplo da genialidade do roteiro da série está na cena em que Eve tenta assimilar tudo o que aconteceu entre ela e Villanelle. A agente está concentrada em um balcão de bar quando aparece uma cliente que diz “compreender exatamente o que ela está passando”.

O medo e a paranoia imediatamente tomam conta dela, mas em seguida Eve entende que a moça pensava que ela fosse uma viciada em recuperação tentando evitar uma recaída. Não aguentando o absurdo, ela solta a mais gostosa gargalhada em resposta.

O episódio de estreia da 2ª temporada de Killing Eve proporciona um misto de emoções e sentimentos aos fãs: o drama, a tensão, a sensação de urgência estão lá, mas o humor também aparece como um importante componente da trama — especialmente nessa hilariante season premiere que nos faz rir mais do que muitas comédias por aí.

Relacionado: Killing Eve: episódio de estreia da 2ª temporada bate recorde de audiência da série