Em um ano imprevisível, a entrega do Oscar 2019 de Melhor Filme, neste domingo (24), deverá deixar um marco na história da premiação – independente de qual for o vencedor da votação preferencial da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.

Pantera Negra, o fenômeno cultural e de bilheteria da Marvel Studios, pode se tornar o primeiro filme de super-herói dos quadrinhos a levar a honra máxima do cinema norte-americano.

Roma, de Alfonso Cuarón, pode quebrar barreiras se vencer o Oscar de Melhor Filme, como o primeiro longa-metragem estrangeiro a conquistar (também) a categoria principal. Além disso, uma vitória de Roma daria à Netflix o seu sonhado Oscar, consagrando o serviço de streaming em meio a uma indústria em rápida evolução.

Outros recordes e feitos históricos podem ser estabelecidos na cerimônia deste domingo, 24 de fevereiro [com transmissão no Brasil pela TNT a partir das 20h30]. Analisamos a seguir como se configura a disputa do Oscar de Melhor Filme e como as produções indicadas podem deixar marcas na história da premiação.

Oscar de Melhor Filme e a categoria de Direção

Com a ampliação no número de indicados em Melhor Filme e a instauração do sistema preferencial para escolher o vencedor, as categorias de Filme e Direção elegeram trabalhos diferentes nos últimos anos, indo contra o histórico de vitórias “casadas” dessas cobiçadas estatuetas.

[Dando exemplos: em 2016, Alejandro G. Iñárritu levou o Oscar de Direção por O Regresso, enquanto o prêmio de Melhor Filme foi para Spotlight; mas o diretor do longa oscarizado, Tom McCarthy, estava indicado em sua categoria. Em 2017, Moonlight notoriamente “roubou” o Oscar de Melhor Filme de La La Land, mesmo após Barry Jenkins perder a estatueta de Direção para Damien Chazelle, responsável pelo musical].

Mesmo assim, os filmes vencedores do Oscar são, em geral, produções com múltiplas nomeações pela Academia, em especial em Direção. Nos 90 anos de história, os Academy Awards premiaram apenas 4 filmes que não foram indicados em Direção, são eles: Asas (1929); Grande Hotel (1932); Conduzindo Miss Daisy (1990) e Argo (2013).

Essa é uma importante estatística a se considerar em um ano com fortes candidatos ao Oscar de Melhor Filme que ficaram de fora da disputa em Direção. O caso mais famoso é o de Bradley Cooper, que foi considerado um favorito no começo da temporada, mas não emplacou na categoria.

[Ao mesmo tempo, a esnobada da Academia em relação a Cooper nos faz lembrar o que aconteceu com Ben Affleck pela direção de Argo – será que a história pode se repetir e reverter em uma vitória surpreendente de Nasce Uma Estrela no grande prêmio da noite?]

Green Book é a maior ameaça entre os filmes não-indicados em Direção

Indo contra as estatísticas, Green Book pode vencer o Oscar de Melhor Filme mesmo sem ter sido indicado em Direção.

Nasce Uma Estrela não é o único caso de filme indicado ao grande prêmio – e com chances reais de vitória – sem uma nomeação em direção. A maior ameaça para Roma, neste finalzinho de corrida à estatueta dourada, é Green Book: O Guia, um favorito entre o público e que continua ganhando tração nesta temporada de premiações, apesar das controversas envolvendo a veracidade da história e o roteiro “simplista” do longa-metragem.

Pantera Negra, Nasce Uma Estrela, Green Book: O Guia e Bohemian Rhapsody são os concorrentes a Melhor Filme que não possuem indicações em Direção e podem fazer história no Oscar 2019.

Força dos sindicatos e das indicações nas categorias chave

Se a indicação em Direção é uma estatística interessante para entender a votação do Oscar de Melhor Filme, é preciso considerar também a presença dos indicados nas outras categorias da premiação e na força das produções junto aos sindicatos (que fazem parte do corpo votante da Academia).

Infiltrado na Klan está entre os mais indicados pelos sindicatos neste ano, mas sem uma vitória significativa.

Nesse sentido, Infiltrado na Klan aparece como o único filme entre os concorrentes deste ano com nomeações em todos os principais sindicatos (PGA, DGA, WGA e SAG), além de constar nas categorias "chave" do Oscar 2019 – a saber, os prêmios de Melhor Filme, Direção, Roteiro e Edição.

Essa última categoria, aliás, merece uma atenção especial. Desde que o prêmio de Melhor Edição foi instaurado, em 1934, apenas 10 produções venceram o Oscar de Melhor Filme sem uma indicação por Montagem. Os últimos dois casos foram Birdman (2014) e Gente como a Gente (em 1981!).

Neste ano, os indicados em Edição são: Bohemian Rhapsody (considerado o favorito); Vice; A Favorita; Green Book: O Guia e Infiltrado na Klan. Poderá Pantera Negra, Nasce Uma Estrela ou Roma superar esse desafio (estatístico) e conquistar o grande prêmio da noite mesmo sem a nomeação em montagem?

O que a vitória representa para cada indicado a Melhor Filme

Com esses números em mente, e os possíveis marcos históricos que poderemos testemunhar no Oscar 2019, resumimos abaixo o que a vitória representa para cada indicado a Melhor Filme e as narrativas que poderemos escrever neste domingo:

Pantera Negra

  • Primeiro filme de super-herói dos quadrinhos a vencer o Oscar de Melhor Filme
  • Consagração da Marvel Studios e seu Universo Cinematográfico
  • Retorno das superproduções (em orçamento e bilheteria) ao grande prêmio do cinema
  • Reconhecimento de seu impacto cultural e da representatividade da raça negra

Roma

  • Primeiro filme estrangeiro a ganhar o Oscar de Melhor Filme
  • Primeiro prêmio de um streaming (a Netflix) na categoria principal
  • Consolidação de produções artísticas na “nova era” da Academia

Green Book: O Guia

  • Retorno de obras populares (ou que tendem a agradar ao grande público) no prêmio principal
  • Simboliza o “meio-termo” entre a velha guarda e os novos membros da Academia

Infiltrado na Klan

  • Reconhecimento de um dos cineastas mais importantes da história do cinema, Spike Lee
  • Mais do que artístico ou popular, o vencedor do Melhor Filme precisa ser relevante sobre os temas da contemporaneidade

Nasce Uma Estrela

  • Retorno de sucessos de bilheteria ao Oscar de Melhor Filme
  • Além de ser um trabalho artístico e popular, o vencedor do Melhor Filme precisa emocionar e tratar de relações humanas

A Favorita

  • Elegância, sofisticação e arte são sinônimos de um vencedor do Oscar
  • Experimentação artística e novos “autores” são reconhecidos pela Academia

Bohemian Rhapsody

  • Retorno de sucessos de bilheteria ao Oscar de Melhor Filme
  • Retorno de obras populares (ou que tendem a agradar ao grande público) no prêmio principal
  • Filme supera adversidades dos bastidores e vence o Oscar

Vice

  • A Academia se posiciona em uma declaração antirrepublicana


Mais notícias sobre o Oscar 2019:

E você, para quem está torcendo neste Oscar 2019?