Quando Supernatural estreou, em 13 de setembro de 2005, produtores, roteiristas e atores provavelmente não faziam ideia do sucesso que a série teria. Agora, prestes a exibir o seu 300º episódio e com uma 15ª temporada confirmada, todos os membros da equipe têm noção de que o programa é muito querido pelos fãs e impacta de forma significativa a indústria cultural.

Como você deve se lembrar, a premissa original da série era acompanhar as aventuras dos irmãos Sam (Jared Padalecki) e Dean Winchester (Jensen Ackles) “salvando pessoas e caçando coisas; o negócio da família”. Porém, ao longo dos anos, o foco acabou saindo das lendas urbanas e incluindo anjos, demônios, céu, inferno e, inclusive, o próprio Deus!

Com essa fórmula, Supernatural fez bastante sucesso fora dos Estados Unidos, principalmente em países como Canadá, Nova Zelândia e, é claro, aqui no Brasil. Outro aspecto que contribuiu para que o programa expandisse a sua influência pelo mundo foi um contrato firmado em 2011 entre a Warner Bros. e a Netflix, que levou as primeiras temporadas para o serviço de streaming.

Esse movimento ainda permitiu que um público mais jovem tivesse seu primeiro contato com a história de Sam e Dean. “Toda vez que adolescentes aparecem e dizem: ‘Meu Deus, eu assisti a todos os episódios’, eu pergunto: ‘Quantos anos você tem?', e eles respondem: ‘14’. Eles eram fetos quando começamos a série!”, brincou Ackles recentemente.

Quando Supernatural entrou para o catálogo da Netflix, a oitava temporada foi assistida por quase 2 milhões de usuários do serviço de streaming, o que representou um aumento de 18,6% no número de espectadores em relação à season finale anterior. Cientes da grande oportunidade que tinham em mãos, todos os envolvidos começaram a explorar mais a série.

Confira alguns dos segmentos nos quais ela conseguiu entrar e virou referência:

Licenciamento de produtos

A conquista de um público mais jovem aumentou a demanda por produtos licenciados do programa. Em um primeiro momento, a ideia era focar em itens de colecionador e artigos de moda, sempre usando símbolos que fizessem sentido no enredo de Supernatural e rendessem artigos interessantes para os fãs fiéis da série.

Assim, a Warner Bros. Consumer Products fez acordos com a Funko, para desenvolver bonecos colecionáveis da famosa linha Pop!, e com a Hot Topic, para desenhar uma linha de roupas inspirada na série. Além disso, foi fechado um contrato com a Hasbro para fazer versões de jogos consagrados, como Banco Imobiliário e Detetive, entre outros.

Produção de eventos

É possível afirmar que Supernatural também renovou o fôlego das convenções. Um bom exemplo disso é empresa Creation Entertainment, que costumava organizar eventos para os fãs de Star Trek e Xena, mas conseguiu revitalizar seus negócios com a ajuda da série dos irmãos Winchester. Nessas oportunidades, os atores mostram materiais novos, dão entrevistas e interagem com o público.

Em setembro de 2018, a Creation Entertainment realizou o seu 100º evento inspirado em Supernatural na cidade de Nova Jersey. A expectativa é de que pelo menos mais uma dezena de ações desse tipo sejam realizadas em 2019. Se depender dos marcos que a série conquista e do amor incondicional dos fãs, certamente elas serão um sucesso.

Causas filantrópicas

Os profissionais envolvidos com Supernatural também se preocupam em dar bons exemplos para o público. Prova disso foi quando o ator Misha Collins, que interpreta Castiel, pediu a ajuda dos fãs para construir um centro de apoio infantil no Haiti depois do terremoto de 2010. “Nosso fandom tem uma paixão e um entusiasmo que permitem essa canalização de energias”, explicou ele certa vez.

Outra causa abraçada pelos fãs da série é o combate aos estigmas relacionados a doenças como ansiedade e depressão. Padalecki, que luta contra elas há vários anos, lançou a campanha Always Keeping Fighting, que vende camisetas para financiar organizações que ajudam pessoas com os mais diversos problemas de saúde mental.

Você conhecia a profundidade do impacto cultural de Supernatural? Comente!

Este texto foi escrito por Kamylla Silva via nexperts.