Liam Neeson está no meio de uma polêmica absurda e que piora a cada momento. O ator revelou ao jornal britânico The Independent que ele, após saber que uma pessoa próxima havia sido estuprada por um homem negro, andou pelas ruas com um bastão na esperança de "matar alguns negros desgraçados" por vingança. Só para contextualizar: Liam Neeson está divulgando seu novo filme, Vingança a Sangue Frio, que fala, obviamente, sobre vingança.

Divulgação

“Eu andava para lá e para cá em bairros tradicionalmente negros segurando um bastão e esperando ser abordado por alguém – tenho vergonha admitir. Fiz isso por talvez 1 semana, esperando que algum 'negro desgraçado' saísse de um bar e me questionasse sobre algo, sabe? Aí eu poderia matá-lo.” Ele usou aspas com as mãos para dizer as palavras "negro desgraçado".

Neeson disse ao repórter que havia descoberto sobre o estupro da amiga depois de voltar de uma viagem. Ele não revelou quem teria sido violentada, mas declarou: "Existe algo de primitivo nisso (a sede de vingança) – que Deus não permita que você tenha algum membro da sua família machucado desse jeito".

A coisa piorou quando Neeson revelou as perguntas que fez para sua amiga. “Eu indaguei se ela sabia quem era o agressor. Ela disse que não. Perguntei de que cor ele era. Ela disse que era uma pessoa negra", acrescentou.

O ator disse que "aprendeu uma lição" com sua reação quanto ao estupro e que se sente extremamente arrependido e pede perdão a Deus.

Ator nega racismo

O caso tomou proporções imensas, claro, e o ator foi acusado de racismo, gerando uma onda de comentários na internet. Na última terça-feira, o Good Morning America, tradicional programa matinal de variedades, dedicou todo o seu tempo para uma nova entrevista com Liam Neeson. "Eu não sou racista. Isso aconteceu há quase 40 anos”, declarou o ator.

A jornalista e âncora do Good Morning America, Robin Roberts, questionou o motivo de o ator ter perguntado à amiga sobre a cor da pele do agressor e não sobre seu peso, tamanho, altura e outras características. Neeson respondeu que indagou, sim, sobre esses detalhes, embora ele não tenha mencionado isso quando revelou a história pela primeira vez ao The Independent. O ator ainda afirmou que teria reagido da mesma forma caso sua amiga tivesse dito que o agressor era um homem branco. "Eu estava tentando mostrar minha honra, defender minha querida amiga dessa violência terrível", disse.

Quando questionado sobre a lição que ele teria tirado dessa experiência, Neeson respondeu que esperava que os outros “falassem mais sobre esses assuntos", mas logo depois voltou a pergunta para a jornalista: "Você pode me dizer qual seria a maior lição?".

"Você não foi descoberto por alguém. Você admitiu o que fez, então eu lhe darei crédito por isso, mas também preciso reconhecer que um homem negro inocente poderia ter sido morto por algo que ele não fez, somente por causa da cor da pele. Você também tem que entender a dor da pessoa negra ouvindo o que você disse”, respondeu Robin Roberts.

Tapete vermelho cancelado

Por causa de toda a polêmica, a produtora Lionsgate cancelou o tapete vermelho de estreia de Vingança a Sangue Frio, que ocorreria em Nova York. O filme é um remake do norueguês O Cidadão do Ano (2014). No longa, um motorista é premiado como Cidadão do Ano por sua cidade no Colorado, mas sua vida é virada de cabeça para baixo quando seu filho é assassinado por um poderoso chefe do tráfico. É aí que o homem decide se vingar. O longa-metragem é dirigido por Hans Petter Moland.

Este texto foi escrito por Rodrigo de Lorenzi via nexperts.