O veterano Alan Alda é o mais novo homenageado de honra do Screen Actors Guild. A última edição da premiação, mais conhecida como SAG Awards, fez um tributo ao currículo de Alda, que ostenta uma carreira de mais de 60 anos. Na noite do evento, que aconteceu no fim de janeiro na cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos, ele aproveitou para fazer um discurso sobre a essência política da carreira de quem atua.

Durante sua fala, Alda refletiu sobre o privilégio que é ter a missão de representar tantas visões de mundo diferentes e a importância disso quando política e cultura estão divididas. Levado ao palco por Tom Hanks ao som da música-tema de M*A*S*H*, série de TV estrelada pelo veterano na década de 70, Alda foi ovacionado pela plateia e agradeceu o carinho antes de dar início a um discurso memorável.

Foto: Reprodução/My Mother Lorde

Sério, Alda disse: “Esse prêmio vem em um momento em que, ao olhar para trás, vejo, mais do que nunca, o orgulho que tenho de fazer parte dessa comunidade de artistas. Quando temos a chance de atuar, assumimos também o compromisso de, ao menos em parte, entrar na mente de um personagem e buscar uma maneira de ver a vida a partir do ponto de vista dele, de assumir a sua visão de mundo – e deixar a audiência experimentar isso, é claro. Talvez nunca tenha sido tão urgente ver o mundo através de diferentes perspectivas, nos abrirmos à visão que outras pessoas têm do que está à nossa volta. E é quando a cultura se mostra dividida, como hoje, que nós, atores, podemos fazer a diferença. O bom disso? Nós ainda damos risadas! Por isso, meu desejo é que todos possamos manter um espírito aberto e descontraído. Vamos nos divertir, continuar buscando. Pode não resolver tudo, mas não fará mal algum”.

Um multifacetado colecionador de prêmios

Ainda durante a homenagem, Hanks lembrou a plateia sobre os feitos de Alda, que aos 82 anos é um “raro talento”, dono de Emmys diversos, tanto por seu trabalho como ator quanto por suas contribuições como roteirista e diretor. “Ele nos mostrou quem somos e o que podemos ser”, disse Hanks, apoiado desde a plateia por Mike Farrell, outro veterano e colega de cena de Alda em M*A*S*H*, além de grande amigo do ator.

Foto: Reprodução/Closer Weekly

Em entrevista antes da entrega dos SAG Awards, Alda contou à Entertainment Weekly que o tributo à sua carreira era uma “surpresa maravilhosa”, mas que sentia ser muito cedo para celebrar os feitos de sua vida profissional, mesmo que já tenha acumulado mais de 60 anos diante das câmeras. “Ainda sou uma criança. Eles não sabem disso!”, brincou, sugerindo que a leveza nunca deixou de inspirar sua atuação.

Questionado sobre o que vem por aí em sua carreira, Alda adiantou que deve reprisar seu papel como Solomon Waltzer, um advogado de defesa nada honesto, já na terceira temporada de The Good Fight, spin-off de The Good Wife. “O personagem rouba seus clientes e tenta assumir o controle dos seus negócios”, contou. “Eles me pediram para voltar a gravar algumas cenas já em fevereiro, mas ainda não recebi o meu script”.

O ator, que compareceu ao SAG Awards acompanhado dos netos, revelou em julho do ano passado ter sido diagnosticado com o Mal de Parkinson – doença que não o impediu de seguir em plena atividade. Além da participação em The Good Fight, recentemente Alda foi o narrador de The Emperor's Newest Clothes (2018), da HBO, atuou na série Ray Donovan e hoje comanda o podcast Clear+Vivid.

Este texto foi escrito por Rodrigo Sánchez via nexperts.