Adam Driver é um ator extremamente versátil, o que se comprova em personagens que vão do esquisitão Adam Sackler, em Girls, ao vilão Kylo Ren, em Star Wars. Mas entrar em um set com uma sala cheia de homens usando os trajes brancos do Ku Klux Klan foi uma situação que conseguiu deixá-lo nervoso. "O traje do KKK não faz parte da minha vida, por isso é obviamente chocante ver algo que é um símbolo tão icônico de ódio e com que você discorda veementemente”, disse Driver em entrevista ao portal EW. "Depois, você pensa: 'Isso foi meio estranho'."

As cenas citadas fazem parte do filme Infiltrado na Klan, que foi indicado a seis categorias do Oscar: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Trilha Sonora Original, Melhor Montagem, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Ator Coadjuvante — a primeira indicação de Adam Driver feita pela Academia.

(Reprodução)

Em um comunicado, o ator afirmou que a indicação despertou uma sensação "surreal, para dizer o mínimo". E acrescentou: "Eu sou humilde e grato à Academia e me sinto muito privilegiado por representar esse filme com uma equipe como essa. Especialmente com Spike Lee, Barry Brown e Terence Blanchard; três pessoas cujas colaborações anteriores foram uma inspiração em minha vida”.

"Sou muito grato à equipe, ao elenco, especialmente ao meu amigo John David Washington, e a Spike por me dar a oportunidade de fazer parte de um filme que tem igualmente partes de alegria e de um grito primal. Começar a trabalhar com pessoas que você admira e respeita é um milagre por si só, mas quando se conecta em uma escala maior como essa, é difícil articular”, completou na nota.

(Reprodução)

“Ele nunca se repete; tudo o que ele faz é novo", afirmou Spike Lee, diretor do filme, em elogio a Driver. Infiltrado na Klan é baseado na história real do primeiro detetive de polícia negro de Colorado Springs, Ron Stallworth (John David Washington), que se infiltrou no KKK local por meio de telefonemas. Flip Zimmerman (Driver), representa Ron quando se encontra com os membros do movimento extremista pessoalmente.

Relacionado: Oscar 2019: indicados refletem diversidade e títulos estrangeiros (análise)

Este texto foi escrito por Stephanie D'Ornelas via nexperts.