Quem vê A Favorita e suas dez indicações ao Oscar 2019 — tornando-se o campeão de nomeações ao lado do mexicano Roma — pode não imaginar, mas o caminho até a concretização do filme foi longo. A produção de Yorgos Lanthimos que estreou nos cinemas brasileiros na quinta-feira (24) não teria conseguido financiamento quando o projeto surgiu, em 1998. O motivo? Além de ser de época, a história é liderada por mulheres e narra um romance lésbico.

De acordo com o Deadline, a produtora Ceci Dempsey considera o longa “um processo”. Mais de 20 anos se passaram desde que a escritora Deborah Davis mostrou a Dempsey o primeiro rascunho da história, que narra a vida da rainha britânica Anne (Olivia Colman) no início do século 18 e seu triângulo amoroso com suas duas principais confidentes (Emma Stone e Rachel Weisz).

Nos últimos tempos, "as coisas estão realmente mudando", aponta Dempsey sobre a igualdade de gêneros e inclusão. Mas, para ela, a potência da história ultrapassa o gênero ou a sexualidade das personagens. "Acho que as pessoas pensavam: 'Oh, as mulheres realmente não seguram um filme' e todos esses clichês que foram refutados ao longo dos anos, não apenas com esse filme”, afirma.

Ed Guiney, que também trabalhou na produção, contou ao portal que o que mais o atrai em Lanthimos é sua humanidade. "Eu acho que ele se interessa intensamente por pessoas e pela condição humana. Todos os seus filmes desafiam os personagens de maneiras incríveis. Isso fala sobre os desafios que todos nós enfrentamos em nossas vidas”, diz.

Guiney também observa a mudança no horizonte em termos de igualdade e inclusão. "Eu acho que você pode sentir isso em todos os lugares. Está na água; está no éter. Isso enriquece o trabalho”, afirma.

Após as nomeações da última terça-feira (22), Lanthimos declarou: "Eu gostaria de agradecer à Academia por homenagear A Favorita tão generosamente hoje. Sentindo-me um pouco como uma pessoa de fora olhando para mim, estou realmente feliz com as indicações desta manhã. Elas são uma homenagem significativa a cada pessoa envolvida na produção de A Favorita — meus talentosos colaboradores e elenco sublime, liderados por Olivia Colman, Rachel Weisz e Emma Stone”.

As três estrelas da trama foram nomeadas ao Oscar: Emma Stone e Rachel Weisz na categoria de Melhor Atriz Coadjuvante; e Olivia Colman como Melhor Atriz no papel da rainha Anne.

Relacionado: Oscar 2019: indicados refletem diversidade e títulos estrangeiros (análise)

Este texto foi escrito por Stephanie D'Ornelas via nexperts.