Favorito ao Oscar 2019, Roma, de Alfonso Cuarón, foi indicado a 10 categorias da maior premiação da indústria do cinema de Hollywood. Mas não é o único filme estrangeiro em preto e branco que está dando o que falar nas disputas deste ano. O drama romântico Guerra Fria, de Pawel Pawlikowski, também surpreendeu com três indicações ao Oscar.

O filme polonês competirá nas categorias de Melhor Fotografia e Melhor Filme Estrangeiro, enquanto Pawlikowski concorre à estatueta de Melhor Direção — categoria que ele venceu no Festival de Cannes no ano passado, onde Guerra Fria estreou.

Uma grande coincidência — além de serem filmes estrangeiros em preto e branco — é que tanto Roma quanto Guerra Fria são baseados nas vidas das famílias dos diretores. Guerra Fria é inspirada nas histórias dos falecidos pais de Pawlikowski, músicos que se conheceram na Polônia pós-guerra e embarcaram em um casamento tempestuoso.

Em entrevista à Variety, o diretor afirmou que seus pais "estariam na Lua" com as indicações ao Oscar. E acrescentou: "Há sempre uma nota de tristeza em momentos com este. Eles morreram pensando que eu era um anarquista inútil". Pawlikowski se disse surpreso com as indicações ao Oscar e atribuiu o sucesso do filme à representação da história de amor no contexto geopolítico em que ela se desenrolou.

Ele já possui uma estatueta de ouro: o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2015, por Ida, sobre um órfão de guerra que se prepara para entrar em ordens sagradas. E aí, será que o cineasta polonês leva mais um prêmio para casa neste ano?

Relacionado: Oscar 2019: indicados refletem diversidade e títulos estrangeiros (análise)

Este texto foi escrito por Stephanie D'Ornelas via nexperts.