Com 2019 iniciado e uma leva de versões em live-action de seus clássicos engatilhadas, a Disney já começa a olhar no futuro: o próximo na lista será O Corcunda de Notre Dame, que ainda não tem data de estreia, mas provavelmente será para a metade de 2020 em diante.

Até lá, o estúdio vai jogar no mercado as versões em carne e osso de Dumbo (29 de março), Aladdin (24 de maio), O Rei Leão (19 de julho), A Dama e o Vagabundo (4 de outubro), Mulan (27 de março de 2020) e Malévola 2 (29 de maio de 2020). Também estão em pré-produção live-actions de Cruella, Pinóquio, Lilo & Stitch e A Pequena Sereia.

O Corcunda de Notre Dame é baseado no livro de 1831 escrito pelo francês Victor Hugo. A história se passa em 1482 e narra a amizade entre Quasímodo, o guardião do sino da catedral, e Esmeralda, uma cigana e dançarina que passa a ser perseguida por conta de sua proximidade com o corcunda.

O Corcunda de Notre Dame arrecadou US$ 325 milhões em bilheterias mundiais

O clássico animado da Disney foi lançado em 1996 e tinha Tom Hulce e Demi Moore dublando Quasímodo e Esmeralda, respectivamente. Na mesma época, em 1997, um telefilme neozelandês, com Salma Hayek no papel da cigana, chegou a passar em canais abertos no Brasil.

Por enquanto, nenhum ator foi escalado para o novo live-action. A Disney anunciou o escritor David Henry Hwang como o roteirista do filme – ele é mais conhecido por seus trabalhos no teatro. O diretor será Bill Condon, o mesmo do blockbuster A Bela e a Fera (2017), que arrecadou mais de US$ 1,2 bilhão em bilheterias ao redor do mundo.

Salma Hayek interpretou a cigana Esmeralda em versão para TV de 1997

Este texto foi escrito por Diego Denck via nexperts.