O ator Leonardo DiCaprio ganhou um superpresente de aniversário há algum tempo: a estatueta do Oscar que pertencia a Marlon Brando – ele havia conquistado o prêmio de melhor ator em 1955, pelo filme Sindicato de Ladrões. O inesperado na história é que DiCaprio precisou entregar o item às autoridades americanas.

A estatueta de Brando foi comprada por US$ 600 mil (aproximadamente R$ 2,3 milhões) pelo investidor malaio Jho Low, que financiou o filme O Lobo de Wall Street, protagonizado por Leo. Foi o investidor quem presenteou o ator com o Oscar. O problema é agora que Low é um fugitivo da Justiça, pois desviou bilhões de dólares de um fundo de investimento do governo da Malásia, chamado 1Malaysia Development Berhad (1MDB).

De acordo com um relatório publicado pelo jornal americano The New York Times, acredita-se que Low está se escondendo na China, e os Estados Unidos assumiram a investigação para reprimir o fluxo de dinheiro ilegal através do sistema financeiro do país. Com isso, diversas agências do governo norte-americano estão recuperando itens que foram comprados pelo investidor com o dinheiro desviado – é nesse ponto que entra a ligação com o presente a DiCaprio.

Além da estatueta de Brando, o ator entregou uma pintura feita por Pablo Picasso e quaisquer outros presentes que tenha vindo de Low. Outras celebridades também receberam os mimos e precisaram devolvê-los, como a supermodelo australiana Miranda Kerr, que ganhou uma joia avaliada em US$ 8 milhões (aproximadamente R$ 30 milhões) – também confiscada pelo governo dos EUA.

Apesar do valor exuberante dos presentes recuperados, a reportagem do NYT afirma que o processo tem sido demorado, já que Low está escondido. Além disso, ele e os outros implicados no caso negam as irregularidades.

Este texto foi escrito por Camila Pessoa via nexperts.