O que fazer quando uma gangue de demônios vindos do Lugar Ruim tenta buscar um grupo composto pelos quatro humanos mais distintos entre si? Que tal entrar em uma subdimensão fora do espaço e do tempo no nexo e consciência e matéria amarrada à sua essência? Bom, ao realizar essa façanha, saiba que alguns efeitos colaterais podem ter surgido e com eles, um dos melhores episódios da terceira temporada de The Good Place.

D’Arcy Carden, a Janet de The Good Place, já fez papéis diferentes em capítulos anteriores, mas basicamente sendo a boa ou a má Janet. Desta vez, ao levar o grupo todo para o seu vácuo, inesperadamente cada um dos personagens mantém a sua personalidade, porém cada um no corpo de uma Janet.

Com essa trama elaborada, Carden teve um trabalho imenso. Afinal, além das falas foi necessário que ela entrasse em cada personagem para explorar o sotaque, os tiques, as manias de cada um para deixar tudo mais crível, na medida do possível — e a atuação foi formidável. Com Eleanor e Chidi tentando se acertar, Jason no mundo da Lua e Tahani preocupada com suas roupas, Janet ainda precisou ajudar Michael a desvendar o mistério sobre as entradas no Lugar Bom.

O grupo não pode sair do local, basicamente, porque são fugitivos, então esse é um ponto seguro, mas que sobrecarrega a ajudante de Michael. E o que está por trás do sistema de pontos que aparentemente não está funcionando? Perguntas como essas são esclarecidas durante o episódio.

Carden comentou sobre o esforço necessário para realizar a brilhante atuação. Segundo revelou, não esperava que os produtores acreditassem em um papel tão importante no desenvolvimento da série; e o mesmo se deu com ela, que ficou preocupada com o fato de ter que dar conta de tantas interpretações distintas. No entanto, a estrela conta que trabalhar com todo o elenco por tanto tempo ajudou na preparação, pois, além do conhecimento de cena, a atriz aproveitou as filmagens para absorver mais sobre os detalhes de cada personagem.

Alguns exemplos disso são os ombros de Jason ou a forma como ele termina as frases, a postura de Tahani ao sentar e a falta de modos de Eleanor ao explicar qualquer coisa. Até a insegurança de Chidi ficou ainda mais vibrante. Carden conta que uma das maiores dificuldades foi contracenar com objetos inanimados e uma sala completamente branca. Esses fatores complicaram na hora de extrair tudo o que a atriz gostaria para as tomadas de cena, mas o resultado impressiona.

O que podemos dizer é que o episódio se mostrou completamente sensacional e, para os fãs da série, foi um ar-condicionado em uma onda de calor: completamente revigorante! Ficamos, inclusive, ansiosos pelos próximos acontecimentos.

Este texto foi escrito por Luiza Lafuente via nexperts.