Depois de meses instigando a curiosidade dos fãs, The Walking Dead finalmente revelou o destino de Rick Grimes — após seu intérprete, o ator Andrew Lincoln, avisar que ia abandonar a série. E, embora muita gente acreditasse que os criadores da história iam preferir dar ao protagonista o mesmo caminho que teve Carl, dessa vez a série preferiu encerrar a jornada do ator, mas não a de seu personagem.

Rick, como ficou claro no episódio 9x05, não vai morrer. “Foi uma preocupação: começamos a dizer uma coisa, e as pessoas estão antecipando uma morte, e nós não damos isso a elas. Você não pode agradar a todas as pessoas o tempo todo. É por isso que tento não ler coisas assim. Caso contrário, eu não seria capaz de sair da cama pela manhã”, disse Lincoln.

A saída encontrada restabeleceu a esperança de muitos espectadores de que o xerife possa ressurgir em algum momento nas temporadas futuras da trama, mas Lincoln chegou para cortar a animação dos fãs mais rápido do que Rick o faz com a cabeça dos zumbis na ficção. "Eu posso dizer categoricamente que não vou retornar à série de TV", reforçou durante uma entrevista recente ao jornal The New York Times.

Isso não significa, no entanto, que ele estará longe dos sets nem que vai se despedir de Rick tão cedo. A AMC já confirmou três spin-offs da série, trazendo justamente o policial como protagonista, afastado de seu usual grupo e tendo que lidar com os problemas típicos de um mundo pós-apocalíptico, mas dessa vez com outras pessoas.

Como isso vai impactar quem fica na série e os desdobramentos nesta e nas próximas temporadas, não se sabe. Foi revelado até agora apenas que um salto temporal pode colocar Judith nos holofotes, assumindo o papel de nova Grimes dentro da história.

Descendo do cavalo para subir no helicóptero

Embora esteja cada vez mais se desligando dos quadrinhos que deram origem à produção para a TV, o criador da história no formato de papel, Robert Kirkman, continua envolvido em todos os produtos dessa rede de zumbis.

Agora, o universo de The Walking Dead vai levar Rick Grimes para outros tipos de experiências, ou ao menos é o que justifica a saída dele, segundo o chefe de conteúdo da saga, Scott M. Gimple.

A ideia é buscar inspiração em produções de grandes nomes do cinema e do faroeste, como Clint Eastwood, e explorar tanto os conflitos morais e de personalidade quanto os de outras esferas do universo. Na fala de Lincoln, é quase como se Rick tivesse "passado de fase" e subido um nível dentro dos mundos da história.

"Eu achei que a ideia de um personagem que o público conhece e com quem conviveu — e que oscilou entre o psicopata e o pai por 9 anos — para começar em um lugar completamente diferente foi realmente um ponto interessante. Eu quero saber por que continuamos vendo helicópteros voando por aí. O que está acontecendo?"

Nos longas que se seguirão, a ideia não é fazer superepisódios da série, mas sim construir tramas próprias, com firmeza para se caracterizarem como filmes, sozinhas, sem precisar da série como uma muleta.

Contudo, até saber o que de fato vai acontecer e como serão os filmes, a curiosidade vai correr solta, já que ainda não há uma previsão de lançamento oficial.

Este texto foi escrito por Lu Belin via nexperts.