Sam Esmail, criador de Mr. Robot, acertou mais uma com sua nova série: Homecoming. Protagonizada por Julia Roberts, a primeira temporada da produção da Amazon teve um final bastante surpreendente.

Conhecemos Heidi (Julia Roberts), uma conselheira nas instalações da Homecoming, aparentemente designada para ajudar soldados a voltar para casa depois da guerra. Mas, graças a um investigador do Departamento de Defesa, soubemos que a instalação de Heidi estava dopando os soldados, para que esquecessem rapidamente traumas do campo de batalha e pudessem ser mandados para outra missão. Por fim, a própria memória de Heidi se tornou confusa, devido a um nhoque particularmente medicado que ela e Walter (Stephan James) comeram no penúltimo episódio.

O último capítulo da temporada começa com Colin (Bobby Cannavale) se gabando das conquistas da Homecoming, a ponto de citar um participante em específico, que teve uma recuperação incrível e "queria voltar ao trabalho". Porém, Colin é interrompido por Craig denunciando Heidi — que está destruindo as fitas das próprias sessões. Quando ele liga para ela, Heidi admite que queria que Walter sofresse uma overdose dos remédios, para que ele não fosse mandado novamente para batalhas. "Você está louca?", Colin pergunta. Heidi assume que é uma possibilidade.

Mas as coisas pioram quanto Audrey (Hong Chau), a recepcionista, chama Colin para uma reunião e começa a interrogá-lo. Ele avisa que vai esperar o chefe, mas ela anuncia: "Ele não está mais conosco. Eu estou em um novo cargo". Audrey começa a falar sobre a necessidade de afastar um funcionário, porém Colin não percebe que ela está falando dele. "Você era um resolvedor dos problemas, mas agora você se tornou um", informa Audrey, enquanto entrega uma carta de admissão de culpa para que ele assine.

Mais tarde, descobrimos que Craig alterou o registro de Walter, para adicionar uma falsa acusação de conduta violenta. No presente, Heidi conta toda a verdade para Gloria, mãe de Walter: eles "tratavam" soldados traumatizados para "apagar" memórias problemáticas. Gloria diz que entende, mas não perdoa, e Heidi afirma que acredita que pode recuperar as memórias de Walter com um gatilho. A mãe nega: ele está finalmente feliz.

Heidi ignora o desejo de Gloria e parte em busca de Walter. Mas quando ela o encontra — tranquilo, alegre e sossegado —, percebe que chegou tarde demais. Heidi se despede dele, só para perceber que ele reposicionou o garfo na mesa, como costumava fazer com sua caneta na Homecoming. Em algum lugar, ainda há o velho Walter.

Mas é claro que Sam Esmail iria deixar uma surpresa no final: uma cena pós-crédito. Nela, vemos Colin insistindo que ele estava do lado deles, enquanto assina a declaração de Audrey. Quando ele sai, ela começa a tremer até encontrar um frasco com um estranho líquido vermelho, onde se lê "apenas para uso laboratorial". Ela esfrega o líquido nos pulsos e melhora instantaneamente.

Um incrível episódio final, que nos leva a uma série de perguntas. Todos na Geist estão sob testes medicamentosos, em algum nível? O que houve com as investigações de Carrasco — depois da sua promoção? O papel de Dermot Mulroney era só esse mesmo? E, claro: como será a próxima temporada? Afinal, a história de Heidi e Walter já foi contada — quem sabe teremos algo no estilo American Horror Story (trocando personagens, mas não atores)?

Só nos resta esperar.

Este texto foi escrito por Verenna Klein via nexperts.