Muita gente sonha em trabalhar nas grandes empresas de tecnologia – parece um sonho, um objetivo a se alcançar, conseguir uma vaga na Google, no Facebook, na Amazon, na Netflix. Porém, muitas pessoas também sabem que em muitos desses lugares a rotina pode ser pesada e nem sempre todos são tratados da maneira como deveriam, causando problemas trabalhistas de todo tipo e muito estresse e críticas por parte dos funcionários.

Pois é esse lado obscuro dessas grandes empresas que o Wall Street Journal analisou, especificamente a cultura de trabalho na Netflix, que a publicação considera “cruel, desmoralizante e transparente a ponto de ser disfuncional”. A Netflix sempre teve fama entre as grandes empresas do Vale do Silício por ter princípios culturais que geraram, inclusive, um livro escrito pelo CEO da empresa Reed Hastings.

Talvez não seja bem assim...

Porém, o ambiente lá dentro não é nada agradável para os funcionários, segundo apurou o Wall Street Journal. A publicação apurou que a Netflix segue o que chamam de “keeper’s test”, que seria a ideia de que um gerente deve manter apenas os trabalhadores que ele ou ela lutaria para manter. O problema é que isso, na prática, serve como uma fachada para as políticas comuns no ambiente de trabalho e que alguns gerentes afirmam sentir pressão para “demitir pessoas ou correr o risco de parecer frouxos”.

Em um comunicado por e-mail, a Netflix disse que acredita “fortemente em manter uma cultura de alto desempenho e dar às pessoas a liberdade de fazer seu melhor trabalho”. A nota prossegue: “Menos controles e maior responsabilidade permitem que nossos funcionários prosperem, tomando decisões mais inteligentes e criativas, o que significa um entretenimento ainda melhor para nossos clientes”.

Ambiente cruel

O que mais se diz é que o ambiente causa ansiedade e insegurança, com superiores conversando abertamente sobre quem deveria ou não ser mandado embora e, claro, com demissões que parecem surgir do nada. Quem elogia a cultura da Netflix já diz diferente – que quem reclama são apenas ex-funcionários demitidos por baixo desempenho.

A Netflix atualizou seus princípios culturais no ano passado como um longo documento online que está em sua página de oferta de empregos. Entre seus princípios centrais, está a de que a empresa “vai manter apenas o pessoal altamente eficaz” e vai incentivar as pessoas a serem “extraordinariamente sinceras umas com as outras”. Seja lá o que isso possa querer dizer...

Via Tecmundo.