Como vinha prometendo a equipe de This Is Us, esta temporada está, desde seu primeiro episódio, carregada revelações grandiosas que despertam dúvidas. Brincando com as linhas temporais, a série tem entregado ao público provocações sobre o que vem pela frente e, principalmente, detalhes importantes do passado de cada um dos personagens, os quais nos ajudam a compreender melhor quem são eles.

Empenhado em conhecer melhor o seu pai, Kevin (Justin Hartley) embarcou em uma jornada ao lado de Zoe (Melanie Libud). No quinto episódio da temporada, exibido na última terça-feira (23), o casal chegou à cidade de Baltimore, onde conheceram Robinson (Charles Robinson), um senhor que esteve na Guerra do Vietnã ao lado de Jack (Milo Ventimiglia).

Atípico, o quarto episódio desta temporada de This Is Us não tratou da família Pearson no presente, tendo se concentrado somente na história de Jack, mostrando sua infância, seu relacionamento com o irmão Nick (Michael Angarano) e revelando o real motivo de o patriarca ter servido o exército.

Também foi no quarto episódio que conhecemos o personagem Robinson, um soldado cuja vida fora salva por Jack. Já nesta semana, foi por meio dele que Kevin descobriu que, na verdade, seu pai havia sido um sargento na guerra, e não um mecânico, como sempre lhe contou.

Diante de uma foto daquele tempo, Kevin se demonstra especialmente incomodado com a falta de informações sobre seu tio, mas Robinson o adverte: “em relação a esta Guerra em particular, às vezes as respostas são tão obscuras que é melhor que nós nem as tenhamos”.

Sem ter avançado muito na pesquisa, Kevin e Zoe se preparam para seguir viagem e, na saída do hotel, reencontram-se com Robinson, que entrega ao rapaz alguns envelopes e diz que o Jack que ele conhecera queria que tudo sobre aquela Guerra ficasse para trás, mas que talvez isso não significasse que ele não fosse querer que seus filhos não soubessem sua verdadeira história.

De acordo com a produtora executiva Elizabeth Berger em entrevista à Entertainment Weekly, Robinson percebeu que o assunto era sensível para Kevin e que a vida de Jack havia sido curta demais e, por isso, ele deve ter pensado “sabe de uma coisa? Se Jack tivesse vivido 20 anos a mais, talvez ele quisesse que seu filho conhecesse tudo”. Além disso, “há a perspectiva de um soldado que também parece ter levado tempo para conseguir contar sua própria história, então eu acho que ele pensou nisso tudo para decidir contar a verdade a Kevin”, reflete.

Em meio aos papéis recebidos, Kevin encontra uma foto misteriosa, na qual seu pai aparece ao lado de uma moça vietnamita. Um detalhe torna tudo mais intrigante: ela usa o mesmo colar que Jack lhe dera de presente como uma espécie de amuleto da sorte. Parece que muita coisa está implícita nesta imagem, mas não temos como saber ao certo o que ela realmente representa.

A respeito desse novo nó a ser desatado no enredo de This Is Us, Berger explica que entre Jack e a vietnamita houve uma história, um relacionamento complexo, mas que o público só saberá como se deu o envolvimento entre os dois juntamente com Kevin, que está se aproximando do Vietnã e, por consequência, encaixando as peças da história de seu pai.

O repórter Dan Snierson relembra que Kevin ganhou o colar de seu pai quando sofreu o acidente que interrompeu sua promissora carreira de jogador de futebol americano. Por ter simbolizado um período em que o garoto precisava ser forte, Snierson liga os pontos: “será que Jack ganhou o colar em uma circunstância igualmente difícil e, se sim, será que isso tem a ver com a história de Nick?”.

Ressaltando que, de modo geral, quando se fala em guerra, costuma-se falar mesmo em períodos turbulentos, Berger assume que Jack realmente ganhou o colar quando passava por um momento difícil e de emoções afloradas. “Isto definitivamente ocupou um lugar significativo em seu coração, e é por isso que ele deu o colar para Kevin quando ele era adolescente”, completa.

A produtora de This Is Us ainda enfatiza que o que houve entre Jack e a vietnamita ainda está em aberto para o público, que tem total liberdade para interpretar os fatos como quiser, podendo até adicionar um Pearson perdido pela Ásia. Mesmo assim, avisa que o que vem por aí pode não ser nada fácil, já que há questões pesadas o bastante para que Jack nunca as tenha contado nem mesmo para Rebecca (Mandy Moore).

“Trata-se de uma jornada tão abstrata que, mesmo que ele tenha uma foto, será uma busca constante para obter as respostas de que precisa, e elas virão de lugares inesperados e de pessoas que ainda não conhecemos. Definitivamente, essas pessoas que estamos encontrando ao longo do caminho fazem parte da trama maior”, finaliza Berger.

Esse texto foi escrito por Gabriela Petrucci via nexperts.