Confirmada na produção Camping, da HBO, Jennifer Garner está voltando para as séries de TV. O retorno marca o fim de um hiato de 12 anos, desde que o último episódio de Alias — Codinome Perigo foi lançado.

O período não poderia ser mais oportuno: no momento, existem rumores de um retorno de Alias. Nela, Garner viveu a espiã Sydney Bristow por cinco temporadas, e não dá para pensar em uma série sem ela.

"Eu ouvi que existe um reboot de Alias acontecendo, mas ninguém falou comigo sobre isso. Quer dizer, seria completamente diferente. Mas se eles não me tivessem como convidada, eu ficaria muito, muito brava. Mas não consigo acreditar que está sério ainda, porque eu não ouvi nada sobre isso."

Camping marca o retorno de Jennifer Garner à TV

Mas fãs de Alias podem manter a calma: enquanto não temos novidades concretas, ainda dá pra ver Jennifer Garner na HBO. Camping é produzida pelas showrunners de Girls, Lena Dunham e Jenni Konner. E, por mais que a atriz tenha focado em filmes nos últimos anos, ela garante que não teve dificuldades em voltar para a TV.

"Eu nunca pensei em voltar para a TV como uma questão enorme, então não foi uma barreira que eu tive que derrubar. Era um trabalho. E era gravado em Los Angeles, e o roteiro era genial, e Jenni Konner e Lena Dunham são um par que qualquer um seria sortudo de se trabalhar. E uma vez que eu estava no processo de dizer sim, isso só foi ficando melhor e melhor. Quando David [Tennant] chegou, e Juliette Lewis chegou e Ione Skye chegou, as coisas ficaram ainda melhores."

Camping é uma comédia sobre um grupo de amigos que acaba se tornando em um final de semanda complicado para seus casamentos e fichas criminais. Garner interpreta Kathryn, uma mulher obcessiva e agressivamente controladora, casada com o personagem de David Tennat (Doctor Who). Os dois atores garantem que o roteiro é incrível, e que existem muitas falas que ele amaram dizer — ou que tiveram dificuldades em dizer sem começar a rir na metade.

"Todo dia havia uma fala que eu dizia 'Essa é a melhor fala que eu vou dizer em toda a minha vida, então eu quero fazer justiça', conta Garner. Ela enfatiza um momento em que Kathryn está "prestes a ter um incidente", e ela diz "Eu sinto que cada célula do meu corpo está em Dançando com as Estrelas mas não há juiz."

Para Jenni Konner, o fato de ser uma minissérie — de oito episódios de meia hora cada — certamente ajudou Garner a aceitar o papel. "Ela disse que amou o roteiro. Acho que foi realmente uma partida para ela, comparado a quem ela interpretava, e ela estava empolgada para fazer isso. Ela realmente parece uma atriz corajosa para mim, e alguém que não quer ficar presa na mesma coisa por muito tempo. Eu acho que um jeito ótimo de exercitar o talento, como uma mãe que vive em Los Angeles, é fazer uma minissérie. E gravar em Los Angeles... Você não está deixando seus três filhos em casa para ir para Vancourver."

E Garner endossa esse ponto de vista, ao dizer que "Ser a única protagonista em uma série de 22 episódios, não acho que posso fazer isso novamente. Eu só não sei, não sei mesmo. Não sei como mães fazem isso."

Esse texto foi escrito por Verenna Klein via nexperts.