Com tantas produções nos cinemas e na TV apresentando os super-heróis dos quadrinhos, é comum escutarmos que o gênero pode começar a cansar os espectadores e deixar de oferecer algo diferente aos fãs.

Mas se depender da série do Demolidor, esse momento ainda está longe de chegar. O Homem Sem Medo retorna em excelente forma na sua 3ª temporada pela Netflix, e os seis episódios iniciais (já disponibilizados para a imprensa mundial) provam que ainda há muitas histórias a serem exploradas nesse universo.

Na trama da nova temporada, Matt Murdoch se recupera dos eventos finais da minissérie dos Defensores e passa a questionar a sua fé, seu papel e sua existência ao perceber que Deus o obriga a agir como o Demônio de Hell’s Kitchen, enquanto as pessoas que ele mais ama se tornam alvos de criminosos e inimigos.

Após um breve período de recuperação e reflexão, Matt decide abdicar de sua vida civil, aposentando sua persona de advogado, e volta à ação como o Demolidor – especialmente quando a ameaça de Wilson Fisk, o Rei do Crime, se agiganta sobre a cidade de Nova York.

O Rei do Crime está de volta

O retorno do vilão (com a interpretação monstruosa de Vincent D’Onofrio) é uma das maiores qualidades da 3ª temporada de Daredevil. A narrativa mostra que Fisk está decidido a fazer o que for preciso para ajudar sua amada Vanessa a se livrar da justiça, mesmo que isso signifique entregar outros criminosos à polícia.

O roteiro se propõe a analisar os diferentes pontos de vista a respeito da colaboração de Fisk com os agentes da lei, trazendo questionamentos políticos, morais e sociais sobre “quantas vidas o Rei do Crime está salvando” em sua delação e “quantos policiais ainda vão morrer para protegê-lo”.

A discussão sobre o conflito político em torno de Fisk reverbera questões atuais que podemos notar na sociedade norte-americana de Trump e até mesmo no momento turbulento de eleição que vivemos no Brasil – basta perceber a agitação dos personagens frente aos privilégios e à manipulação do Rei do Crime nos bastidores.

Mas não é apenas no conteúdo que a 3ª temporada de Demolidor acerta! O debate aprofundado de ideias é balanceado por sequências de ação impressionantes e de tirar o fôlego. Fisk é o centro de uma emboscada alucinante logo no começo da temporada, enquanto Matt Murdoch/Demolidor tem uma nova cena de luta em plano-sequência (que começa novamente em um corredor) que deixará os espectadores imaginando como o trecho foi gravado!

Karen, Foggy, Mercenário... e o Demônio de Hell’s Kitchen

A temporada explora também as histórias particulares de personagens coadjuvantes muito queridos do público, como Karen Page e Foggy Nelson, que passam do luto de perder um grande amigo à revolta de ver Fisk fora da prisão.

Conhecemos também novas figuras do universo do Demolidor, como a freira Maggie, que ajuda Matt a ficar de pé novamente, e o agente do FBI Poindexter, que rapidamente cai no radar do Rei do Crime para se transformar no letal Mercenário.

Mesmo com tantas atrações e novidades, a 3ª temporada de Demolidor não seria tudo que é sem Charlie Cox no papel titular. O ator, que já havia comprovado seu talento nos anos anteriores, faz aqui seu melhor trabalho, revelando novas camadas e dimensões ao demônio de Hell’s Kitchen.

O resultado é, potencialmente, a melhor adaptação de um super-herói dos quadrinhos para o formato serializado – seja na Netflix ou em qualquer outra plataforma até aqui.

Relacionado: Demolidor: Netflix divulga trailer oficial da 3ª temporada

A 3ª temporada de Demolidor estreia no dia 19 de outubro pela Netflix.