A Netflix é a maior consumidora da internet do mundo todo, chegando a 15% do consumo de banda larga. É mais do que qualquer outro serviço online!

A informação é de um estudo da Sandvine, uma empresa canadense de equipamentos de rede. Em seu mais recente relatório sobre o fenômeno da internet global, a companhia anunciou que a Netflix consome 15% do tráfego downstream — isto é, informações que saem de servidores para usuários.

Logo após a Netflix, estão os serviços de transmissão de mídia por HTTP, com 13,1%. Em terceiro lugar, aparece o YouTube (11,4%); em quarto, serviços de navegação de internet em geral (7,8%); e em quinto, transmissões em MPEG (com 4,4%), que incluem áudio e vídeo.

Durante os horários de pico noturnos, o consumo da Netflix pode chegar a 40% de todo o tráfego downstream. Isso é muito, mas poderia ser mais: segundo a Sandvine, a codificação dos vídeos da empresa é mais eficiente do que a de qualquer outro provedor de vídeo. Ou seja: a porcentagem de consumo de dados seria muito maior se sua compressão de algoritmos não fosse tão eficiente.

Netflix por todo o mundo

Transmissões de vídeo são a maior parte de consumo de internet: 57,7%, considerando todas as formas de vídeo (plataformas de streaming, YouTube, web etc.). Uso da internet no geral fica em segundo lugar, com 17%. Jogos online ocupam 7,8%, e redes sociais vêm depois, com 5,1%. O resto inclui outras categorias, como serviços de compra de conteúdo (como iTunes e Google Play), com 4,6%; transmissão de arquivos, com 2,8%; e streamings de áudio, como o Spotify, com 1%.

Se tomarmos transmissores de vídeo como uma categoria própria, a queridinha dos jovens ainda lidera. Nessa análise, a Netflix assume 26,6% de todo o tráfego downstream do mundo. Se considerarmos apenas o continente americano, a taxa sobe para 30,7%. A situação é diferente na região conhecida como EMEA (Europa, Oriente Médio e África): lá, o YouTube lidera, com 30,4% do tráfego de informações — a Netflix chega a 23,1%. Na Ásia e na Oceania somadas, os campeões são serviços de vídeos apoiados na própria web, seguidos de vídeos no Facebook (17,7%).

A Netflix se sobressai até em comparação com outras plataformas de streaming. A Amazon Prime consome 5,7% e a Hulu, 0,4%.

Os dados da Sandvine incluem mais de 150 provedores de internet ao redor do mundo, o que se traduz em 2,1 bilhões de assinantes. Mas atenção: não foram compilados dados significativos da China e da Índia.

Este texto foi escrito por Verenna Klein via nexperts.