Dentre os diversos enredos possíveis de séries, os que envolvem política direta e indiretamente tendem a prender a atenção do público. Isso acontece por motivos como trama, esquemas obscuros, crimes e o universo que a maioria de nós, mortais, apenas especulamos existir. Com isso, a margem para os criadores desses programas é imensa, abrangendo não só questões em nosso país, mas também em grandes potenciais mundiais e em qualquer período histórico.

Reunimos nesta lista algumas das tramas mais intensas politicamente! Confira:

1. Scandal

Olivia Pope é quem se deve procurar quando um escândalo está em iminência. A ex-diretora da Comunicação da Casa Branca tem um jeito especial e eficiente de lidar com as crises, já que ela e sua equipe conseguem abafar qualquer coisa, ou quase isso. A influência de Pope se estende por níveis elevados do comando da nação, mesmo dentro do governo norte-americano. Mas como Olivia consegue resolver essas questões? E sua equipe? O que escondem? A cada episódio as tramas ficam mais envolventes, e assistir a apenas um episódio não é possível.

2. The West Wing

A tradução literal do seriado seria algo como "A Ala Oeste", referindo-se à parte da Casa Branca onde tudo acontece. Isso porque as crises são constantes, e o time do presidente da nação mais poderosa do mundo não tem descanso. A equipe de redatores é composta por nada menos que ex-assessores do governo norte-americano, o que torna difícil distinguir a ficção da realidade.

3. House of Cards

A luta dos líderes políticos e seus favores ganha uma nova alçada quando um líder ambicioso negocia algumas das pautas no congresso. Frank Underwood não possui escrúpulos nem mede forças quando o assunto é poder. Ele e sua esposa, Claire, farão o que for necessário para atingir seus objetivos — e acredite: eles não miram baixo. Mas como lidar com todos os segredos que o casal carrega? Como silenciar aqueles que os ameaçam? Cabe ao espectador descobrir nessa série digna de maratona.

4. Veep

O que acontece quando a atual vice-presidente dos EUA é um tanto atrapalhada? A equipe de mídia tenta acobertar as gafes e manter a imagem da segunda pessoa mais importante do país, encenada por Julia Louis-Dreyfus, a Elaine de Seinfeld. Dentre as muitas trapalhadas, como dormir ao vivo durante um debate, ela ainda se vê com a possibilidade de entrar para o cargo mais alto. Mas será que ela está pronta? O programa, original da HBO, tem seis temporadas e vários prêmios no currículo.

5. O Mecanismo

Uma das séries nacionais mais controversas dos últimos anos, O Mecanismo encena muitos dos eventos reais de nossa nação. Inclusive, a conta oficial da série House of Cards no Twitter publicou que não seria possível competir com os acontecimentos no Brasil. O seriado optou, no entanto, por um roteiro cheio de fatos reais, mas sem deixar de distorcer aqueles que lhes era de interesse como fantasia. Entre as tramas estão desde o escândalo do Banestado até os processos que levaram o Brasil ao estágio atual. Então, se você gosta de intrigas, crimes, assassinatos, incriminação e golpes, assista a jornais televisivos. Para o entretenimento, confira a série!

6. Madam Secretary

Elizabeth McCord é uma professora universitária, ex-agente da CIA e agora foi convidada pelo presidente dos Estados Unidos para ser Secretária de Estado. Lidar com assuntos externos no governo norte-americano não é uma tarefa fácil, tendo em vista as constantes crises diplomáticas envolvendo a potência mundial. De quebra, ela precisa encarar os problemas em casa, com marido e filhos, situação que muitas vezes se mostra bem mais complicada que ameaças terroristas.

7. Designated Survivor

Um congressista norte-americano, selecionado para o que até então seria uma mera formalidade, é um dos dois sobreviventes de todo o governo dos Estados Unidos após um grave atentado. Com isso, ele tem de assumir o cargo de presidente em meio à maior crise da História. O cargo nunca foi a pretensão de Tom Kirkman, mas ele decide que fará o melhor para o povo em honra àqueles que perderam a vida no trágico evento.

Logo de cara, um governador em busca dos holofotes dá uma pitada do quão difícil é lidar com a briga de egos imposta por todos os lados. Na outra mão, ele precisa desvendar quem está por trás da conspiração que dizimou diversos políticos. Kirkman vai descobrir que nada é o que parece.

8. Commander in Chief

O presidente dos Estados Unidos inicia a cirurgia delicada para a retirada de um tumor no cérebro. Sua vice-presidente, Mackenzie Allen, recebe duas notícias: a primeira é sobre o procedimento, e a segunda é que o partido não a quer como sucessora. Uma candidata ainda inexperiente e de um partido independente assumindo o cargo mais importante do mundo poderia ser um risco, afinal de contas.

Ao consultar o então paciente sobre os seus possíveis últimos desejos, ela recebe o pedido para que renuncie ao cargo e deixe o caminho aberto para outro parlamentar à escolha do partido assumir. Antes que o processo seja concluído, o presidente morre, e a então vice decide seguir para tomar as rédeas do país, o que ela vai descobrir não ser tão simples assim.

9. The Newsroom

A utopia jornalística descrita em Newsroom é algo que toca o espectador. Afinal, é o que esperamos dos editoriais: que eles sejam comprometidos na busca da verdade independentemente de quem esteja do outro lado. Mas sabemos que a realidade não é assim, em nenhum âmbito. Não é um cenário tão cristalino, no qual só existem extremos. As críticas a jornalismo, política e outros setores é bem pesada e explícita, o que inclusive gerou repercussão negativa em relação à série nos Estados Unidos. Vale a reflexão.

10. Suburra: Sangue em Roma

Roma é um prato-cheio para os amantes de intrigas, golpes e reviravoltas. Isso porque, além de todo o contexto histórico que cerca uma das cidades mais importantes do mundo, política, religião, máfia e negócios estão sempre à flor da pele. Ao colocar as falhas individuais dos personagens nesse ambiente tão cheio de possibilidade, a trama desenvolve por caminhos inesperados.

11. Marseille

Robert Taro é o prefeito da cidade de Marseille, na França, nos últimos 25 anos e agora está prestes a enfrentar um sucessor cheio de artimanhas, como encontrar maneiras de vencer uma corrida eleitoral marcada por traições e personagens com intenções dissimuladas. Quem busca uma série no melhor estilo Netflix de séries adultas encontra, ainda, uma excelente atuação de Gérard Depardieu.

12. The Crown

A Grã-Bretanha é palco de inúmeras disputas ao longo de muitos séculos. A série acompanha como a região foi definida pós-Segunda Guerra Mundial, dando enfoque à vida da Rainha Elizabeth II. The Crown foi premiada pelas excelentes atuações do elenco, levando dois Globos de Ouro em 2017. Até a própria Rainha confessou ter gostado do programa, apesar de alguns eventos terem sido dramatizados demais. Um conjunto excelente de produção, elenco e roteiro — vale a pena assistir a cada episódio.

13. The Good Wife

Escândalos políticos sempre rendem um belo pano de fundo para boas histórias, e aqui não é diferente. Julianna Margulies vive Alicia, a esposa do político Peter Florick, que é pego em um caso extraconjugal que se mistura à sua vida política. Ele é preso, e ela tem que recomeçar a vida, lutando contra boatos, fofocas, paparazzi e quase nenhuma experiência profissional, já que era dona de casa.

O seriado foi inspirado nos escândalos sexuais dos políticos norte-americanos, com foco no lado que a mídia pouco mostra: o dos familiares. Alicia, por exemplo, volta a atuar como advogada e retoma também antigas paixões e desejos da juventude. Com sete temporadas, The Good Wife é um prato-cheio para quem gosta de dramas políticos, estratagemas legais, um toque policial e uma pitada de romance.

14. Da Vinci’s Demons

Florença, Itália, século XV. Uma região com todo o caos reunido. Política, religião, ciência, comércio, cultura e guerra. A área era conhecida por seu desenvolvimento em vários âmbitos, favorecendo alianças com aqueles de pensamento parecido, mas trazendo a ira de inimigos poderosos, como a Igreja e o próprio Papa. Neste imbróglio, está uma das mentes mais brilhantes de todos os tempos: Leonardo Da Vinci. Mas não aquela imagem do senhor de idade conhecida pela maioria de nós, mas sim um jovem ávido pelo conhecimento e atormentado pela prisão desse período arcaico e recheado de superstições.

Vislumbrar as citações históricas sem conseguir discernir exatamente quais eventos aconteceram e o que é pura ficção prende quem está assistindo, levanta debates e empolga a emendar um episódio no outro.

Este texto foi escrito por Luiza Lafuente via nexperts.