Um Pequeno Favor (A Simple Favor) é obra peculiar. Transitando entre a comédia e o suspense, o longa-metragem convida o público a acompanhar a investigação de Stephanie (Anna Kendrick) sobre o desaparecimento de sua amiga Emily (Blake Lively).

A trama de mistério faz os espectadores imaginarem o que pode ter acontecido com a enigmática e poderosa Emily, enquanto a vida de Stephanie se transforma com a aproximação do marido e do filho da amiga.

Ainda que a premissa tenha todos os elementos de um grande suspense, com os potenciais perigos e segredos que a protagonista poderá encontrar no caminho, o filme opta por uma direção diferente.

Sob o comando de Paul Feig (de Missão Madrinha de Casamento), um veterano do humor e que começa a estabelecer aqui uma linguagem mais autoral, Um Pequeno Favor se torna uma deliciosa e surpreendente comédia, explorando ao máximo o estilo, o carisma e o timing cômico de suas atrizes.

Anna Kendrick carrega o filme nas costas como a ingênua, mas determinada, protagonista que vive uma rotina medíocre (em geral, irritando os outros pais ao participar excessivamente das atividades na escola de seu filho). Blake Lively, por sua vez, injeta charme e beleza para sua personagem, que foge do convencional e parece não se importar com regras sociais.

O encontro das duas atrizes promove cenas hilárias e deliciosas de assistir (o termo “brother-fucker” é cunhado aqui e deveria entrar para a história do cinema!) – o filme é um daqueles em que as escalações de elenco são tão ou mais importantes que o próprio roteiro.

Fica a ressalva, no entanto, de que a obra é destinada aos fãs de comédia, e não aos de suspense. Ainda que a trama de mistério funcione e mantenha a nossa atenção, ela serve fundamentalmente a favor do humor – desconstruindo clichês, invertendo lógicas, não se levando a sério, e nos fazendo gargalhar de rir.