Mesmo depois de oito longas temporadas de Castle, encerrada em 2016, e uma dezena de outras aparições e participações desde o fim a série, Nathan Fillion não hesitou quando recebeu o convite para interpretar o protagonista de The Rookie.

Em sua nova série, Fillion, o Castle, vai viver John Nolan, um novato bem diferente dos demais da Polícia de Los Angeles. Ele começou na polícia mais tarde, e seu principal desafio é se sentir confortável no meio de vários colegas de 20 anos.

Segundo a entrevista que concedeu ao Entertainment Weekly, o que fez com que o ator abraçasse o papel sem nem pestanejar foi puramente seu amor pela profissão. Ele é tão apaixonado pelo universo televisivo e audioviual que, do alto de seus 47 anos, não lhe falta disposição para encarar longas horas de filmagem, uma rotina intensa entre um set e outro e animação para gravar de terno no calor de Los Angeles.

"Em meus piores dias, não há nenhum lugar onde eu preferiria estar. Eu vi todas as peças do quebra-cabeça se juntando e tinha todas as pessoas com quem eu queria trabalhar envolvidas novamente, então por que dizer não?", conta.

Ele se refere a Alexi Hawley, produtor-executivo de Castle que chegou até Fillion com uma ideia que não estava nem no papel ainda, mas logo de cara o convenceu. Uma vez que o ator topou, a ABC imediatamente encomendou a série, sem nem precisar de um piloto.

Para Hawley, a decisão de Fillion de embarcar no desafio imediatamente foi uma surpresa, já que ele pensou que o ator pudesse querer pegar leve, agora que não precisa necessariamente aceitar todos os papéis que chegam. Mas a profundidade e o bom humor que cercam o personagem ajudaram a convencê-lo. "A força de John Nolan é o fato de já ter vivido anos e ser um policial novato com uma empatia que seus colegas de 25 anos não têm. Nathan era a pessoa perfeita para incorporar disso".

Novatos e seus dramas

Uma espécie de Rookie Blue misturada com Castle, The Rookie vai trazer o dia a dia de uma unidade policial em suas patrulhas e as lutas e os conflitos pessoais e profissionais dos principais personagens, tudo com uma boa dose de drama e outra de humor.

Na história, o personagem de Fillion, Nolan, vai ser bem diferente do que estamos acostumados a ver em Castle, que chegou à delegacia conquistando todo mundo com seu jeitão supercarismático e toda a dinheirama que ajudava a "comprar" o afeto dos policiais e demais membros do staff.

Um cara simpático, mas não muito bem aceito, ele vai encontrar na capitã Zoe Andersen (Mercedes Mason) uma das poucas pessoas compreensivas da situação do homem. "Ela entende que, uma vez que você viveu sua vida, vai ver os problemas de um jeito diferente. Os outros policiais nem sempre saem da caixa", diz a atriz.

Para o próprio Nathan Fillion, a produção tem como grande ponto positivo a capacidade de criar empatia pela profissão de policial — que não necessariamente vem ganhando moral nos últimos anos nos Estados Unidos —, mas, principalmente, trabalha na construção de um personagem que vai encantar o público.

"É uma mudança cultural que nós estamos vendo; as pessoas estão começando a vida de novo bem no meio do caminho. Nem todo mundo pode se relacionar com a rotina policial, certo? Somente policiais. Mas as pessoas podem certamente se enxergar nessa realidade de precisar fazer tudo de novo".

Mas quem quer ver Nathan Fillion mais uma vez nas telas acompanhado de uma caixa de donuts e um café ainda tem alguns dias pela frente para aguardar, já que a série estreia nos Estados Unidos no dia 16 de outubro.

Este texto foi escrito por Lu Belin via nexperts.