Julia Roberts é a mais nova celebridade a se posicionar contra a política de separação de famílias em departamentos de imigração, fruto da política do presidente Donald Trump contra imigrantes. Além dela, já se posicionaram artistas como Ellen DeGeneres, John Legend e Kate Walsh.

Em meados de agosto, a atriz postou uma foto em seu Instagram na qual usava uma camiseta com a frase Nós Somos Família. Na legenda, Roberts explicou que a camisa é parte de uma campanha de financiamento para organizações que lutam por direitos para imigrantes presos. Criada pela empresa Be Love Apparel, todos os lucros das vendas da peça serão doados.

A atriz complementa: "Essa situação, na qual famílias têm sido separadas nas fronteiras dos EUA, é uma crise de direitos humanos e está longe de ser resolvida. Até agora, 572 crianças ainda não foram reunidas [com suas famílias]. Aproximadamente 400 pais foram deportados sem seus filhos".

Segundo o Departamento de Segurança Nacional dos EUA, entre o fim abril e o início de maio o governo estadunidense separou mais de 2,3 mil crianças de suas famílias. Várias reportagens, vídeos e fotos denunciando a prática causaram comoção mundial, e Trump se viu obrigado a revogar a decisão. Em junho, ele assinou um decreto proibindo as separações — sem explicar o que seria feito com as famílias já nessa condição. Além disso, não foi determinado como seriam feitas as prisões antes de deportações, e outras questões ainda estão em debate.

Julia Roberts faz questão de se posicionar

Em entrevista recente, Julia Roberts fez questão de reafirmar que separações de famílias são "algo que me deixa doente", por isso está se empenhando em chamar atenção ao tema, já que é uma figura pública. "Existem tantas coisas horríveis que acontecem todos os dias, tantas que essa atrocidade pode se tornar uma história de segunda página de jornal, quando devia estar na capa todos os dias. Então, cada coisinha que eu puder fazer para dar destaque a isso, eu farei."

Não é a primeira vez que a atriz se posiciona ativamente contra o governo Trump. Na verdade, ela se esforçou para que ele nem chegasse ao cargo, visto que fez campanha para Hillary Clinton nas eleições de 2016. Mesmo com a derrota, ela garantiu que não estava preocupada com o futuro dos EUA. "Eu não estou. Não posso estar. Tenho três filhos pequenos, eu me recuso a ter medo."

Este texto foi escrito por Verenna Klein via nexperts.