A relação entre irmãos pode ser cheia de altos e baixos, mas o carinho e o cuidado costumam passar por cima de todas as diferenças. É normal, por exemplo, que aqueles que não se dão nem um pouco bem defendam um ao outro diante de ofensas vindas de pessoas que sequer fazem parte desse núcleo familiar – e, portanto, não podem falar mal de ninguém.

Há, também, os que não são irmãos de sangue, mas sim de criação (ou de alma!) e formam laços afetivos muito preciosos, que merecem ser defendidos com unhas e dentes.

Felizmente, a ficção está cheia dos mais variados tipos de relações entre irmãos. Será que alguma delas é mais representativa para você?

1. Camille e Amma (Sharp Objects)

Grande sucesso de 2018, Sharp Objects nos apresenta a Camille (Amy Adams), uma jornalista que há anos evitava voltar à sua pequena cidade natal Wind Gap, que foi designada para cobrir a morte de duas garotas na cidade. Além de enfrentar seus próprios demônios, ela finalmente vai conhecer Amma (Eliza Scanlen), sua irmã adolescente.

Em pouco tempo, elas criam um estranho laço afetivo. Camille, talvez por compreender as dores de ser uma adolescente em Wind Gap, passa a cuidar de Amma, acreditando protegê-la das manipulações de sua mãe e tentando ajudá-la a fazer as melhores escolhas.

2. Carol e Barbie (Orange Is The New Black)

Carol (Henny Russell) e Barbie (Mackenzie Phillips) são as grandes chefonas da última temporada de Orange Is The New Black. Além de dividirem o mesmo material genético, as duas são culpadas pelo mesmo crime.

As irmãs vivem um relacionamento conturbado, pautado na lealdade e, ao mesmo tempo, no egoísmo; passam a vida toda se cutucando, tanto para se mostrarem uma superior à outra, mas também para se lembrarem de que, de alguma forma, estão juntas – até o final.

3. Beth e Annie (Good Girls)

Em meio a uma situação financeira difícil, três mães suburbanas se veem sem saída. Beth (Christina Hendricks), para fugir de um casamento em crise, cede a uma ideia ousada de sua irmã Annie (Mae Whitman) e aceita assaltar um mercado juntamente com Ruby (Retta), amiga próxima das duas. As três mulheres acabam trilhando um caminho difícil, mas promissor.

Em alguns momentos, a moralidade duvidosa do novo negócio pode chacoalhar essa amizade, mas nunca o relacionamento de Beth e Annie, que levam a ferro e fogo a lógica de “só quem pode falar mal da minha família sou eu”. As irmãs mantêm uma ligação baseada em cuidado, atenção e muito apoio.

4. Damon e Stefan (The Vampire Diaries)

The Vampire Diaries Damon GIF

Apesar de todos os contratempos e romances, o centro de The Vampire Diaries é a irmandade inabalável entre Damon e Stefan Salvatore, não é mesmo?

5. Dipper e Mabel (Gravity Falls)

Os personagens centrais de Gravity Falls não poderiam ser um casal de gêmeos mais caricato: Dipper é o garoto aventureiro, que não tem paciência para romances e doçuras; ele só quer descobrir a verdadeira história da cidade onde passa as férias. Mabel, por outro lado, sonha em viver um grande amor de verão e se divertir ao lado de suas amigas.

A ligação entre esses irmãos, apesar das diferenças, é fora do comum. Além de se preocuparem com a felicidade um do outro, Mabel e Dipper estão sempre envolvidos em grandes mistérios e se provam ótimos parceiros. Dipper segue pronto para proteger a irmã dos perigos de Gravity Falls; enquanto isso, Mabel segura as pontas, mostrando que bom humor é tudo e existe amizade entre irmãos.

6. Elena e Alex (One Day at a Time)

Na sitcom sobre a família cubana, Elena e Alex convivem ao estilo irmãos adolescentes, com diversos desentendimentos bobos e falta de paciência. Mas, também como nos relacionamentos entre adolescentes, os sentimentos costumam ser bem vívidos: não é difícil ver Alex se posicionando para apoiar a irmã e oferecendo a ela um ombro amigo; do mesmo modo, é normal ver Elena, com sua sabedoria de primogênita, dedicar-se para ensiná-lo sobre o que considera importante para o mundo.

7. Kate, Randall e Kevin (This Is Us)

O drama mais querido das últimas temporadas tem muito da realidade, abordando toda a complexidade que qualquer família carrega. Seja em relação à morte do pai ou à adoção de Randall (Sterling K. Brown), a série tem o mérito de representar com delicadeza o amor de irmãos, mesmo que os trigêmeos sejam tão diferentes entre si.

Kate (Chrissy Metz) e Kevin (Justin Hartley) têm a famigerada ligação de gêmeos. Randall, o irmão adotivo que completa o trio, é um pouco mais distante, mas nutre um carinho sem igual por Kate, preocupando-se até mesmo em fazer uma maratona de Sex And The City para não deixá-la sozinha; entre ele e Kevin as coisas são um pouco mais espinhosas, mas não os impedem de se apoiarem.

8. Jonathan e Will (Stranger Things)

Não é à toa que “Should I Stay Or Should I Go” se tornou a música emblemática de Stranger Things, afinal ela simboliza muito bem a relação dos irmãos Byers. No seu papel de mais velho, Jonathan faz questão de apresentar a Will o que é legal, mostrando inclusive que a música pode ser uma forma de escape.

Will admira o irmão e confia nele. Jonathan, diante do sumiço do mais novo, demonstra que seria capaz de qualquer coisa para vê-lo a salvo e se descobre ainda mais solitário sem essa companhia acalentadora.

9. Crosby, Julia, Sarah e Adam (Parenthood)

Assim como This Is Us, Parenthood é uma série que trata das relações humanas com sensibilidade. Aqui temos os Braverman, irmãos adultos com as suas próprias famílias já formadas, mas que se reúnem em torno do núcleo que são Camille e Zeek. Ao longo de seis temporadas, os irmãos enfrentam todo tipo de barra, mais ou menos como acontece na vida real.

Tudo começa quando Sarah (Lauren Graham), junto de seus dois filhos, volta para casa depois de um relacionamento fracassado e é acolhida pela família. Crosby (Dax Shepard), ao descobrir que tem um filho, busca no irmão Adam (Peter Krause) uma figura paterna em que se inspirar. Já Julia (Erika Christensen) aparece muitas vezes como a voz da sabedoria, alguém disposta a ajudar os irmãos a resolverem seus problemas de forma pragmática.

Muitos dos episódios de Parenthood terminam com belas sequências com os irmãos reunidos – seja dançando depois de chuparem pirulitos de maconha ou se confortando depois de momentos difíceis.

10. Buffy e Dawn (Buffy, a Caça-Vampiros)

A irmã mais nova de Buffy (Sarah Michelle Gellar) é uma surpresa enorme, uma vez que só aparece na 5ª temporada da série e, até então, a slayer vinha sendo tratada como filha única. O que pode parecer um erro de continuidade absurdo logo é esclarecido, e nós ficamos sabendo que Dawn (Michelle Trachtenberg) é uma irmã inventada, uma criação de uma ordem de monges para proteger uma força mística.

Mesmo quando Buffy descobre a verdadeira origem de Dawn, o relacionamento delas não muda: são irmãs normais, que brigam e sentem ciúmes. Mas é claro que aqui o sentimento de proteção é um pouco mais forte do que o normal; afinal de contas, o cuidado é contra demônios.

11. Jane e Trent (Daria)

A personagem principal da animação da MTV (que está com um revival em desenvolvimento) é irmã de Quinn, mas destacamos aqui o relacionamento da melhor amiga de Daria e seu irmão, Trent. Em uma vibe de artistas incompreendidos, Jane e Trent se entendem, são os irmãos descolados que dividem seus interesses pelas artes e o desprezo pela cidade de Lawndale.

Além de oferecer muitas caronas, Trent é o primeiro crush de Daria e vive levando as garotas aos shows de sua banda de rock. Jane e Trent se divertem de um jeito peculiar, sempre meio entediados, e cuidam um do outro, suprindo a ausência de seus pais meio doidos.

12. Sarah, Beth, Helena, Cosima, Alison… (Orphan Black)

Ok, elas não são exatamente irmãs. Só que são. Frutos de um experimento genético, as personagens interpretadas por Tatiana Maslany se encontram espalhadas pelo mundo. Beth é quem abre a história, ao ser descoberta por Sarah, que, acreditando ter tido a oportunidade de trocar de identidade e recomeçar a vida, acaba entrando para o Clone Club.

Desde o início, as irmãs têm a missão de se protegerem de uma entidade que parece ter interesse em seu DNA. São cinco temporadas em que toda hora aparece um novo clone, mas talvez seja na terceira que o sentimento de irmandade nasce, depois da descoberta da carente Helena, que passa a chamar Sarah, Cosima e Alison de “sestras” (irmãs em ucraniano).

Este texto foi escrito por Gabriela Petrucci via nexperts.