Não demoraria muito para ser criada uma polêmica envolvendo a versão norte-americana de Skins, que estreou na última segunda-feira, dia 17 nos EUA. De acordo com o The New York Times, os executivos da MTV estão com medo de entrar em conflito com as leis federais contra pornografia infantil. Sendo assim, eles já ordenaram que os produtores da série aliviassem algumas cenas de episódios inéditos. Mas há quem ache esse seja apenas um método de marketing do canal.

As cenas em questão estariam presentes a partir do terceiro episódio da série, que será exibido no dia 31 de janeiro na televisão norte-americana. Numa versão prévia desse episódio, Jesse Carere, um ator de 17 anos, aparece de nu de costas correndo por uma rua. Na história, seu personagem Chris vira piada em todo episódio por causa de uma ereção causada por ingestão de pílulas para disfunção erétil.

A série tem um elenco de idade entre 15 e 19 anos. As leis do país estabelecem que pornografia infantil é qualquer representação visual de um menor de 18 anos envolvido em uma atitude sexualmente explícita.

A MTV recusou-se a comentar o assunto e não confirmou que esteja com medo de transgredir leis: “Estamos confiantes de que Skinsvai não apenas cumprir com os requisitos da lei, mas também com a responsabilidade perante seus telespectadores”, disse um porta-voz da emissora.

Vale lembrar que a série bateu recordes na emissora, como a estreia mais assistida entre os telespectadores de 12 a 34 anos, atraindo a audiência total de 3,3 milhões. Dentre os telespectadores, 1,2 milhões eram menores de 18 anos. No entanto, a emissora tem exibido a série às 22h com o aviso de que é imprópria para menores de 17 anos.

Os produtores da série também não comentaram o caso, no entanto os executivos da emissora já haviam expressado sua preocupação quanto à reação que eles poderiam ter às mudanças que estão sendo exigidas.

O canal pretende editar, com a intenção de deixar menos explícitas, algumas cenas de conteúdo sexual que aparecem do terceiro episódio e em mais alguns outros.

A notícia de que a série pode estar ultrapassando os limites da lei veio de uma fonte anônima de dentro da emissora e não foi uma denúncia feita por alguma organização externa. Por isso, muitos acreditam que isso seja apenas uma forma de fazer publicidade para que mais pessoas assistam à série.