O texto a seguir faz parte da edição #23 da newsletter “Intervalo”, que traz semanalmente conteúdos exclusivos com debate de assuntos do mundo das séries, recomendações de programas, citações da semana e o fluxo de catálogo da Netflix. Clique aqui e assine.

The Good Doctor na Tela Quente e o Boom das Séries

Tivemos uma semana de discussões sobre o mercado nacional aqui na redação do Minha Série. Na segunda-feira (27), a exibição especial da série The Good Doctor (O Bom Doutor) na Tela Quente, pela Rede Globo, atraiu a atenção de muitos espectadores e despertou a curiosidade dos nossos leitores.
A estratégia da emissora (aquela com o telejornal apresentado pela Renata Vasconcellos) de transmitir os dois primeiros episódios do seriado com Freddie Highmore (o garoto de Bates Motel e A Fantástica Fábrica de Chocolate) em horário de destaque na programação teve como objetivo promover o serviço de streaming globoplay.

Os interessados em acompanhar a trama do Dr. Shaun precisam assinar a plataforma online da famigerada rede de TV para assistir aos demais capítulos da primeira temporada – The Good Doctor está sob licença exclusiva do globoplay no Brasil.

A quantidade de comerciais vinculados na emissora (além de ads online, inclusive em nosso site!) comprova o interesse da Globo em popularizar seu streaming. A jogada foi esperta, ainda que arriscada, mas certeira: mesmo com o lançamento de apenas um título estrangeiro, a rede conseguiu fazer barulho.

Streaming é uma realidade

O caminho do streaming é uma realidade para todos os canais, seja do Brasil, da TV por assinatura ou os estrangeiros. A chegada definitiva da Netflix e seus concorrentes mudou as bases do mercado e da indústria, além do comportamento dos espectadores e assinantes. A Globo, poderosa como é, não poderia perder essa onda.

O sucesso da exibição de The Good Doctor na Tela Quente revela o crescente interesse e popularidade das séries junto ao grande público. De repente, todos estavam falando do seriado médico pelos corredores, ônibus e botecos (ou por onde mais você andou nesses últimos dias).


A verdade é que elas estão cada vez mais presentes nas vidas das pessoas. Fãs discutem suas tramas favoritas e indicam programas aos amigos, colegas e familiares. E a Globo da Renata Vasconcellos percebeu isso. Afinal, há quanto tempo não se via uma série americana em horário nobre da grande emissora nacional?

O globoplay promete trazer em breve outros títulos estrangeiros para seu catálogo (hoje você assiste praticamente a The Good Doctor e novelas e seriados nacionais), mas temos certeza que a companhia conseguiu muitos novos assinantes com essa estratégia.

Nos próximos meses, devemos ver outras plataformas de conteúdo entrando nesse mercado emergente – indo desde o Facebook Watch (que finalmente será lançado fora dos Estados Unidos), o DC Universe (previsto para 15 de setembro), além dos aguardados serviços de streaming da Disney e da Apple.


A pergunta que fica é: considerando a realidade brasileira, quantas assinaturas diferentes teremos cacife para pagar?

Relacionado:

Gostou do artigo? Acesse aqui a página de nossa newsletter e assine para receber as próximas edições da "Intervalo", com esse e outros conteúdos semanalmente.