A Netflix conseguiu conquistar seu público fiel muito rapidamente: quase desconhecida no Brasil alguns anos atrás, agora é uma das queridinhas dos fãs de séries e filmes. Para evitar problemas com distribuidoras, a plataforma de streaming encontrou uma solução: produzir cada vez mais o próprio conteúdo. Só para 2018, o plano é investir US$ 8 bilhões em conteúdo original — totalizando metade de todo o catálogo da plataforma.

Apesar de tudo isso, sabemos que escolher algo para assistir não é nada fácil. Sábado à noite, chocolatinho na mão e mais de 20 minutos só rolando a tela. Para facilitar a sua vida, trouxemos uma seleção dos 13 melhores filmes da Netflix. Confira abaixo!

13. Cargo (2018)

Estrelado por Martin Freeman (O Hobbit), Cargo é um filme de zumbis bem diferente: é menos sobre ação e mais sobre o drama, o desespero e o que nos faz humanos de fato. Na trama, um pai precisa encontrar alguém para cuidar de sua filha bebê — antes que ele mesmo seja consumido pelo vírus. Além de elogiar a atuação de Freeman e o trabalho dos codiretores Yolamda Ramke e Ben Howling, os críticos aplaudem o longa como uma renovação no "gênero".

12. Okja (2017)

Assim como toda boa ficção científica, Okja tem uma relação próxima com a nossa realidade — o que pode ser propositalmente desconfortável. O filme é sobre uma corporação que cria "superporcos" geneticamente modificados, e é claro que isso acontece visando ao consumo. A empresa chega até mesmo a criar uma competição mundial para ver qual fazendeiro cria o melhor animal. Uma menininha sul-coreana e seu pai acabam ganhando — até que ela descobre que isso significa perder sua amada Okja e parte para resgatá-la.

11. Código de Silêncio (2017)

A história acompanha uma fraternidade de uma universidade e o dilema entre honrar o código de se manter o silêncio ou se posicionar contra a violência. Não dá para revelar muito mais sem estragar a trama, mas os críticos elogiam o filme, afirmando que é uma "fascinante avaliação de liberdade, compaixão e o que significa pensar criticamente sobre as circunstâncias em que você pode se encontrar".

10. First They Killed My Father (2017)

Dirigido por Angelina Jolie, o filme é baseado no livro de relatos de Loung Ung, uma ativista cambojana. Na infância dela, o Camboja passava por uma guerra civil sob o domínio de Khmer Rouge. O longa é um drama bastante pesado — para começar, a tradução literal do título é "primeiro eles mataram meu pai". Mas se você gosta de obras assim, é uma boa ideia: o Rotten Tomatoes garante que o assunto é abordado com "delicadeza, destreza e empatia, oferecendo um olhar interessante para as atrocidades históricas que ressoam além das fronteiras da narrativa".

9. Já Não Me Sinto em Casa Nesse Mundo (2017)

Apesar de o título parecer meio adolescente, o filme de Macon Blair (Pequenos Ruídos) é um drama sério. Elijah Wood (O Senhor dos Anéis) e Melanie Lynskey (Two and a Half Men) estrelam a trama, que acompanha Ruth, uma mulher tão cansada dos problemas da sociedade que resolve tomar uma atitude quando sua casa é assaltada. Junto a um vizinho que pratica artes marciais, ela monta um grupo de vigilantes que buscam justiça. Segundo o Rotten Tomatoes, o longa "transcende seu título desajeitado quando oferece observações sombrias e pontuais sobre as dinâmicas de gênero e normas sociais na América moderna".

8. Wheelman (2017)

Frank Grillo (Capitão América: Guerra Civil) vive o motorista de fuga de um assalto a um banco — que dá errado. Seu carro está cheio de dinheiro e sua família, sob ameaças, o que significa que ele tem que descobrir o que fazer muito rápido. Para piorar, a única pessoa confiável é sua filha de 13 anos. O que poderia ser um clichê surpreendeu a crítica, que afirma: "é de tirar o fôlego. Nenhuma cena é desnecessária, e nenhuma linha do diálogo acontece fora do tempo certo. Parece uma volta ao tempo, mas sem parecer velho demais. É bombástico".

7. Jogo Perigoso (2017)

Escrito e dirigido por Mike Flanagan (Ouija 2), o longa de terror psicológico é uma adaptação de um livro de Stephen King. Na trama, um casal resolve viajar para o campo para tentar "apimentar" a relação. O marido, Gerald (Bruce Greenwood), algema a esposa à cama, mas acaba tendo um ataque cardíaco antes de qualquer coisa acontecer. E então a história começa: isolada de qualquer tipo de socorro, Jessie (Carla Gugino) precisa encontrar uma forma de se libertar e sobreviver. Mas atenção: se você é sensível a qualquer tipo de abuso, o filme pode ser uma fonte de gatilhos.

6. Sonhos Imperiais (2014)

John Boyega (Star Wars: O Despertar da Força) vive um jovem pai que acaba de sair da prisão e tem uma missão: cuidar de seu filho pequeno. Ele quer se tornar um escritor, mas a pobreza e os problemas do sistema estão em seu caminho. Os críticos explicam que, "assim como o ciclo de violência e pobreza, Sonhos Imperiais te envolve impiedosamente em sua narrativa e se recusa a te deixar até que você seja tocado".

5. Beasts of No Nation (2015)

O diretor e roteirista Cary Fukunaga (True Detective; The Alienist) traz uma trama extremamente pesada sobre a guerra. Na África Ocidental, o menino Agu (Abraham Attah) tem a vida destruída quando seu pai é assassinado durante uma guerra civil. Desamparado, ele é recrutado como soldado da unidade de um sádico mercenário (Idris Elba). As atuações de Elba e Attah são bastante elogiadas, e o filme é descrito como "difícil de assistir, mas impossível de se desviar o olhar".

4. Tallulah (2016)

Se você gostou de Juno (2007), tem altas chances de gostar de Tallulah — o diretor Sian Heder inclusive traz a dupla Ellen Page e Allison Janey de volta. Na trama, Tallulah (Page) é uma jovem meio errante, que vive viajando e "dando um jeitinho" de sobreviver. Mas as coisas mudam quando ela resolve cuidar de um bebê abandonado e ainda recruta sua ex-sogra para ajudar. A crítica elogiou bastante o roteiro e seu flerte com o melodrama, enfatizando que o longa "se mantém pela caracterização graciosa e profunda de suas três protagonistas, mesmo que elas tivessem potencial para se tornarem caricaturas monstruosas".

3. Os Meyerowitz: Família Não Se Escolhe (2017)

O diretor Noah Baumbach é famoso por suas comédias com um bocado de drama, como Frances Ha e Enquanto Somos Jovens. Em Os Meyerowitz, a proposta não é muito diferente — tem até Ben Stiller, figurinha carimbada em seus filmes. Mas ele se supera em seu novo trabalho, trazendo a dinâmica agridoce de uma família composta por Stiller, Adam Sandler e Dustin Hoffman. Segundo o Rotten Tomatoes, "o filme mais maduro e sensato de Baumbach até agora alerta para o fato de que bem pouco na vida, especialmente em uma lascada ou superambiciosa, é aberto a resoluções".

2. A Mala e os Errantes (2016)

Não se deixe enganar pela tradução duvidosa: o título original é Tramps, algo como "vagabundos". Trata-se de uma comédia romântica, mas, se você torce o nariz para o gênero, tente dar uma chance. Dois pequenos criminosos trocam as malas que deviam carregar, e o romance se desenvolve a partir daí. Para os críticos, é um filme "doce, alegre e inesperado, que passa pela proposta de comédia romântica com seriedade e tranquilidade".

1. Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi (2017)

Para começar, o filme ganhou várias indicações ao Oscar: Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Atriz Coadjuvante e Melhor Fotografia, além de ter levado troféus e indicações. A trama acompanha a cruel e racista sociedade americana durante a Segunda Guerra Mundial, trazendo uma amizade entre dois veteranos e a disputa entre suas famílias.

Este texto foi escrito por Verenna Klein via nexperts.