Você já se perguntou o que faz de Grey's Anatomy tão popular? Na época do lançamento, muita gente apostava que era a combinação das cenas mais apimentadas com os dramas dos pacientes do Seattle Grace. No entanto, ao longo dos anos, a série foi se provando e mostrou ser muito mais do que isso.

Sem dúvida, o bom humor dos personagens, os dramas envolventes vividos por eles e a capacidade da série de continuar surpreendendo o público mesmo depois de mais de uma dúzia de temporadas são algumas das características que contam para manter o público amarrado na produção.

A questão é que, a cada season finale, ficamos sofrendo de saudade e, verdade seja dita, uma hora a série vai ter que se encerrar. Embora já tenhamos duas temporadas garantidas à frente, não dá para avançar muito mais na história; e, mesmo que continue por vários anos, talvez o potencial já não seja tão grande quanto antes.

Para quem ama Grey's Anatomy e busca outras tramas com pegadas similares à dela, a primeira sugestão é, claro, escolher outro título criado pela mesma pessoa que deu vida aos médicos do Grey Sloan Memorial Hospital: How to Get Away With Murder e Scandal, por exemplo.

Contudo, se você for um fã inveterado de Grey's Anatomy, a probabilidade é grande de já ter zerado também as histórias de Olivia Pope e Analise Keating.

Outro caminho natural é fazer uma ronda por outras séries que se passam em hospitais. A clássica Plantão Médico e o hit Dr. House são duas alternativas normalmente buscadas por quem está sofrendo de saudades de Meredith Grey e companhia.

Entretanto, tanto a primeira opção quanto a segunda ainda deixam certos espaços vazios. Por isso, a gente preparou aqui no Minha Série uma lista com algumas sugestões de séries que combinam aqueles três elementos que comentamos lá no começo: bom humor, uma dose generosa de dramas pessoais e a capacidade de surpreender continuamente o espectador. Nem todas elas são médicas, mas cada uma traz algumas similaridades com o universo de Seattle criado por Shonda Rhimes.

Private Practice

Se queremos algo que lembre Grey's Anatomy, nada mais justo que começar falando do spin-off, não é? Quando Addison Montgomery decide largar mão de Derek e deixá-lo para Meredith, ela embarca em seu conversível no maior estilo Thelma & Louise rumo a Los Angeles, onde se junta a um time de médicos e terapeutas para trabalhar em uma clínica particular, a Oceanside Wellness.

É lá, inclusive, que vemos pela primeira vez Amelia Shepherd, irmã de Derek que também é neurocirurgiã e hoje faz parte do elenco fixo de Grey's.

Com momentos tensíssimos, altos romances dentro e fora da clínica, bem como casos médicos complexos e desafiadores, Private Practice se assemelha muito à sua série irmã, mas não consegue alcançar o mesmo nível. Não é à toa que ela se manteve no ar por bem menos tempo; suas seis temporadas foram veiculadas entre 2007 e 2013.

The Good Doctor

Uma boa opção para quem quer se manter dentro do ambiente hospitalar e acompanhar casos difíceis, resolvidos com trabalho em equipe e um tanto de genialidade de seus médicos.

Embora tenha muito chão pela frente, The Good Doctor já mostrou que tem potencial em sua primeira temporada, que estreou em 2017. A série equilibra bem o dia a dia dos atendentes e residentes à rotina e ao universo pessoal do protagonista, o Dr. Shaun Murphy (Freddie Highmore), um cirurgião pediátrico que tem autismo savant e que enfrenta o desafio extra de ser aceito e valorizado pela comunidade médica.

Um comentário válido, no entanto, é que – talvez até pelo fato de seu criador ser o mesmo –, The Good Doctor se assemelha muito mais ao estilo de House, com um olhar quase digno de Sherlock Holmes para os casos, e pende mais para o drama do que para a comédia, embora consiga divertir e entreter também.

Rookie Blue

Como se resume o plot de Grey's Anatomy lá na primeira temporada? Uma leva de médicos recém-formados chega a um hospital para treinar na prática as habilidades e os conhecimentos obtidos na faculdade, e ali serão treinados por veteranos da profissão. Substitua "médicos" por "policiais" e "hospital" por "distrito policial", e você tem Rookie Blue.

A série canadense foca em Andy McNally (Missy Peregrym), Dov Epstein (Gregory Smith), Traci Nash (Enuka Okuma), Chris Diaz (Travis Milne) e Gail Peck (Charlotte Sullivan), cinco policiais recém-saídos da Academia, mesclando os casos policiais nos quais eles trabalham e suas aventuras emocionais e dramas pessoais, com bastante pegação, tiroteio e protagonistas constantemente colocados em risco.

Viciante e divertida, Rookie Blue é interessante porque traz rostos pouco conhecidos, por ser de outro país, e tem seis temporadas para quem quiser maratonar.

Chicago Fire

Praticamente atravessando os Estados Unidos, com relação a Seattle, lá está Chicago: uma das cidades mais proeminentes do país é também uma das mais violentas. E é aqui mesmo que temos os cenários para as mais variadas aventuras do Batalhão 51 do Corpo de Bombeiros, sob o comando de Wallace Boden (Eamonn Walker).

Com um elenco matador composto por nomes como Jesse Spencer, Taylor Kinney e Monica Raymund, Chicago Fire combina tudo aquilo que faz de Grey's Anatomy um sucesso, com personagens colocando a vida em risco constantemente para salvar pessoas em incêndios e outros tipos de acidentes, mas adicionando ainda alguns episódios com cara de série policial.

Por outro lado, as aventuras amorosas dos personagens não ficam de fora, e misturar o pessoal com o profissional é com eles mesmo.

Todas as temporadas conseguem agregar novos integrantes, e os criadores da série não têm dó de arrancar alguns dos membros do elenco mais queridos para nos fazer chorar copiosamente. Isso lembra alguma coisa?

Chicago Fire tem também dois spin-offs: Chicago PD e Chicago Med, e as séries não economizam em crossovers, para a alegria dos fãs.

Por falar em bombeiros, vale mencionar ainda outro spin-off de Grey's, esse bem mais recente e que também trata de um corpo de bombeiros. Station 19 gira em torno de Ben Warren, o marido da Bailey, e proporciona algumas participações do elenco da série original.

The Good Wife & The Good Fight

Quando a advogada Alicia Florrick (Julianna Margulies) se vê obrigada a voltar à prática da profissão — depois que seu marido, Peter Florrick (Chris Noth), é preso por corrupção —, ela precisa se atualizar e enfrentar os desafios encarados por quem está começando, apesar de já terem se passado anos desde que ela se formou em Direito. É que, durante mais de uma década, ela se dedicou à família.

Casos desafiadores, uma bomba em cima da outra, volta e meia uma vida sendo ameaçada e tensões emocionais à flor da pele resumem bem The Good Wife. Embora a série tenha também nos deixado órfãos em 2016, ao menos são sete temporadas para se esbaldar e um spin-off divertidíssimo, The Good Fight, que já tem 2 anos de história pela Amazon Prime.

Aliás, esse é outro universo que vem sendo explorado por Shonda Rhimes, dessa vez em For the People. Também vale a conferida se você quiser cobrir todos os lados da criadora.

This is Us

Agora, se você quer partir para o lado mais familiar da coisa, This is Us é a escolha perfeita! O que tem a ver com Grey's Anatomy em termos de narrativa? Bem, absolutamente nada. A série conta a história de três pessoas que fazem aniversário no mesmo dia e suas jornadas familiares, pessoais, profissionais e amorosas.

Com diferentes linhas do tempo, personagens extremamente consistentes e um roteiro repleto de altos e mais altos ainda, é uma escolha supercompatível com fãs de Grey's, especialmente no quesito "lágrimas vertendo de todos os meus poros, por favor me deixe chorar em posição fetal".

Gostou das indicações? Compartilhe com a gente também quais são os seus backups quando Grey’s Anatomy está em intervalo e quais títulos você recomenda para quem busca séries similares.

Este texto foi escrito por Lu Belin via nexperts.