O diretor James Gunn, que se tornou famoso por levar os Guardiões da Galáxia para os cinemas, foi demitido da franquia e não estará mais envolvido com as produções da Marvel Studios e da Disney.

O motivo: tweets antigos publicados por Gunn, antes mesmo da época do primeiro Guardiões da Galáxia, ressurgiram na rede mostrando comentários absurdos sobre pedofilia e estupro.

Segundo a Fox News, os tweets foram resgatados como uma manobra de silenciar Gunn, que é um forte crítico ao presidente Donald Trump. Entre as mensagens publicadas no passado pelo cineasta estão: “Eu gosto quando garotinhos me tocam no meu lugar bobo (silly place)”.

A Disney respondeu de imediato à repercussão sobre os antigos tweets de Gunn e informou em nota que: “as atitudes e declarações ofensivas resgatadas no feed do Twitter de James são indefensáveis e inconsistentes com os valores de nosso estúdio, e nós rompemos nosso relacionamento profissional com ele”.

O cineasta havia se explicado, através da mesma rede social, na manhã desta sexta-feira dizendo que realmente fazia piadas ofensivas no passado, mas que essa não era mais a sua postura em relação ao mundo. Porém, isso não foi suficiente para o cineasta manter o emprego na Marvel Studios.

A Disney não informou como ficará Guardiões da Galáxia Vol. 3 sem o diretor.

Continue lendo: James Gunn reage à sua demissão de Guardiões da Galáxia Vol.3

O Minha Série está comemorando 10 anos em 2018 com novidades aos nossos fãs: conheça o Clube Minha Série, o nosso perfil no Instagram e não deixe de assinar a newsletter Intervalo, que traz semanalmente conteúdos exclusivos em um formato especial.