Estamos a pouco mais de 2 meses da estreia da terceira temporada de This Is Us e já não aguentamos mais esperar. O criador da série, Don Fogelman, no entanto, garante que vai valer a pena cada segundo de ansiedade.

Em entrevistas recentes, Fogelman falou sobre diversos aspectos envolvendo o futuro da produção e alguns dos núcleos que devem estar presentes nos próximos episódios.

Depois de finalmente revelar como a vida de Jack (Milo Ventimiglia) terminou e fazer principalmente Kate (Chrissy Metz) e Kevin (Justin Hartley) enfrentarem de vez a perda do pai, This is Us está pronta para seguir em frente. "Nós temos muita coisa acontecendo. Eu acho que o legal sobre essa temporada e o que potencialmente a torna nosso maior escopo até agora é que todo mundo está meio que adquirindo uma nova 'trama'.''

Algo que ilustra essa transição é inclusive uma troca temporal diferente das que vinham sendo feitas na primeira temporada.

Nos episódios finais da segunda, vemos cenas de um futuro envolvendo Kate e Toby (Chris Sullivan) e Randall (Sterling K. Brown) e Tess (Eris Baker), abrindo todo um novo caminho para a série: o dos flashforwards.

Linhas do tempo

Está na identidade de This is Us contar sua história com diferentes fases, por meio de lembranças e de relatos sobre o passado e, agora, também com lampejos do que está por vir.

"O objetivo do final da segunda temporada foi embrulhar certas coisas e começar alguns novos capítulos. A terceira temporada continua de onde os deixamos, mas eles estão começando novos capítulos", explica Fogelman.

Nas duas temporadas iniciais, This is Us foi muito longe, se estendendo até a infância de Jack e de William (Ron Cephas Jones), passando pelo início de namoro de Jack e Rebecca (Mandy Moore), pelo nascimento dos trigêmeos, pela infância e adolescência dos três, chegando agora à vida adulta.

Essa viagem não linear torna a série extremamente interessante, guardando sempre muitas surpresas e alguns mistérios que instigam o espectador, mas sem toda aquela complexidade à la Westworld, que dá um verdadeiro nó na cabeça do público.

“O objetivo, quando me sentei para desenvolver a série, foi tentar fazer algo que fosse de alta qualidade e, ao mesmo tempo, acessível a pessoas comuns e sem ser tão artístico, vanguardista ou obscuro. Então, ser popular e bem visto por pessoas elegantes é emocionante, porque significa que estamos conciliando muito bem tudo que está envolvido.”

Mas, afinal de contas, quais são agora os próximos passos da série?

A trajetória de Jack

Quem temia ter que se despedir de Milo Ventimiglia já pode respirar aliviado. O ator continua na produção e a participação do patriarca da família Pearson vai seguir tão marcante quanto antes, embora com algumas mudanças na forma como é apresentado.

Jack não continuará vivo apenas na memória dos filhos e da esposa. Na verdade, vamos conhecer um pouco mais sobre o passado do personagem, provavelmente com um vislumbre de seu relacionamento com o irmão, já que o criador já contou que ao menos um dos episódios vai se passar no Vietnã, na guerra da qual ele participou.

"Acabei de terminar de escrever um episódio com Tim O’Brien, o qual é inteiro sobre a história do Jack no Vietnã, no começo da nossa temporada. Isso vai ser incrivelmente excitante e incomum", revelou Fogelman.

Miguel, Miguel

Outro movimento que acontece com o esclarecimento do mistério da morte de Jack é que muita gente também passou a ficar mais confortável na presença de Miguel. Assim como o próprio Kevin, alguns espectadores estavam com dificuldade de aceitar que Rebecca teria um novo parceiro depois da morte do marido.

No entanto, diversos momentos ao longo da segunda temporada amaciaram um pouco a relação dos dois e mostraram o quanto Miguel vem sendo importante para confortar e fazer companhia à mãe dos trigêmeos.

"Eu acho que, na última temporada, as pessoas realmente começaram a amá-lo, e então passaram a se odiar por amá-lo. Contudo, eles gradualmente descobriram que esse cara realmente não fez nada desagradável e está tentando fazer a coisa certa."

Com esse terreno preparado, Fogelman explica que agora já se sente mais à vontade para explorar melhor a trajetória desse personagem até então bastante secundário, embora estivesse lá durante todo o tempo.

"Vamos mergulhar mais fundo nessa temporada e começar esse longo jogo de fazer com que as pessoas realmente comecem a torcer por Miguel de uma maneira séria", acrescentou Fogelman, "e acho que será realmente emocionante quando conseguirmos isso".

Sem esticadinhas

Essa entrada mais aprofundada na história de personagens que são próximos da família, mas não fazem parte do núcleo central dela, é algo que já aconteceu antes, quando alguns episódios acompanharam a jornada de William. No entanto, o criador da série garante que nada disso é feito para "encher linguiça", como dizemos aqui no Brasil.

Muito pelo contrário! Apesar do surpreendente sucesso de This is Us, com a estrondosa recepção do público e as premiações – a série foi novamente indicada ao Emmy, dessa vez com oito indicações, entre elas a de Melhor Drama –, ele jura que já tem na cabeça como será o final da série e que ,inclusive, algumas partes da temporada conclusiva já foram até mesmo filmadas.

“Nós não vamos nos estender para sempre. Nosso programa tem um escopo, um tamanho e uma história que nos propusemos a contar, com um fim. E nós não vamos esticar as coisas somente para fazer mais dinheiro ou continuar mais temporadas apenas por estar em alta. Não é isso que estamos fazendo nessa série”, garante.

Até lá, no entanto, resta se preparar mentalmente para um caminhão de lágrimas que provavelmente virá com a series finale, que talvez não esteja tão distante. "Na minha cabeça, eu sei o que é esse episódio [o final] e quantos nós meio que temos antes disso e a quantidade de temporadas. Sabemos para onde estamos indo (...). Sabemos quais são as nossas histórias, os nossos arcos, sabemos como vamos nos matar trabalhando para executá-los", conclui.

Este texto foi escrito por Lu Belin via nexperts.