Destemida, capaz de enfrentar suas próprias dúvidas e dona de atitudes de moral duvidosa, desde que com um objetivo a alcançar. Assim é descrita Samantha Wheeler, personagem que será interpretada por Katherine Heigl em Suits a partir do início da 8ª temporada da série, em 18 de julho.

Quem fornece a descrição é a própria atriz, famosa por seu papel como Izzie Stevens em Grey's Anatomy. Aliás, Samantha não poderia ser mais diferente de Izzie. Focada, implacável, longe de ser a romântica incurável que era a primeira, a segunda não mede esforços para alcançar o que quer. "Não importa se ela está com medo ou não; ela toma a atitude, e eu penso que essa é a verdadeira definição de coragem. Ela não está sempre certa, e muitas vezes seus métodos são um pouco duvidosos – às vezes ela mesma é obscura. Mas é muito boa em seu trabalho", explicou Heigl ao site TV Line.

Segundo a atriz, essas características são compartilhadas pelos demais personagens da série, que formam um time coeso e em sintonia. "Eles são tão confiantes e confortáveis em suas próprias peles. Eles têm falhas e inseguranças, claro, mas não têm medo de ir além dos limites nem de retroceder".

Mas, afinal, qual vai ser a pegada de Samantha na série e por que ela vai chegar à Specter Litt? Em um primeiro momento, para ser o braço direito de Robert Zane (Wendell Pierce), de acordo com Heigl. "A lealdade dela é com ele e, em um determinado ponto, ele precisa deixar claro para ela: 'Aqui, nós somos um time. Sua lealdade tem que ser com todo mundo, você tem que mostrar a todos o que você mostra a mim'. E isso é algo em que ela tem que trabalhar, porque não costuma confiar nas pessoas."

O que devemos ter, portanto, é uma temporada inteira de construção de laços entre Samantha e seus novos colegas, de forma que ela se aproxime aos poucos de alguns e supere conflitos e diferenças com outros, como é o caso de Harvey Specter (Gabriel Macht). Questionada sobre possíveis desdobramentos de relacionamentos entre os personagens, ela diz não ter visto até o momento indicações de que os dois se envolverão para além do plano profissional.

"Não sei o que Aaron está planejando, mas até agora eu acho que [o conflito] é porque eles são supersimilares em seus estilos e muito confiantes. Eles batem muito as cabeças, porque ela não vai aceitar ordens de ninguém, mesmo que seja do chefe."

Não há por que duvidar, no entanto, que essa troca evolua caso Heigl continue na série. “Há muito conflito nisso. Mas então, como eu disse, eles têm esses momentos de conexão real e realmente enxergam o valor um do outro – a capacidade instintiva e crua de fazer o que fazem bem”, acredita.

Para Heigl, no entanto, o que importa é que ela conseguiu o papel que queria – e que acabou sendo escrito especialmente para a atriz –, além da confiança que tem no trabalho de Aaron Korsh, o criador da série. “A beleza de algo assim é que, como sou muito fã de Aaron, de sua escrita e do que ele faz, não senti a necessidade de contribuir muito. Era como: ‘mal posso esperar para ver o que você faz’. Ao final desse tipo de conversa, eu dizia: ‘Ah, eu não sei, poderia ser divertido interpretar uma versão feminina de Louis Litt. Ou talvez eu interprete uma mulher que entra e diretamente desafia a capacidade de Donna de saber tudo intuitivamente’, mas o que ele acabou criando foi muito mais interessante do que o que eu estava sugerindo”, contou.

Lobby para conseguir o papel

A atriz manifestava o desejo de entrar para o elenco de Suits já há bastante tempo e conta que era fã da produção há vários anos, desde que começou a assistir aos episódios com seu marido, Josh Kelley. Com a ajuda da mãe, que é sua parceira de produção, ela entrou em contato com Korsh e se convidou para participar. "Na época, nós não sabíamos que eles estavam pensando em uma oitava temporada, e ele nos disse que estavam se preparando para isso. Então eu disse: 'Por acaso você não precisa de uma loira alta? Estou disponível', e deu certo".

Embora já tenha dividido o set com Dulé Hill (o Alex Williams, de Suits) também em Doubt, Katherine revela que uma de suas preocupações era conseguir se sentir parte do elenco, já que todos estão juntos há 7 anos.

"Eu estava nervosa por ser a 'menina nova', mas eles foram incrivelmente inclusivos. Quando foi anunciado que eu estaria no elenco, todos entraram em contato comigo por email ou telefone para me dar boas-vindas. Eu falei com Rick Hoffman por 2 horas; essa foi nossa apresentação, pelo telefone", conta.

Este texto foi escrito por Lu Belin via nexperts.