GLOW é uma série incrível, e isso está sendo reconhecido: a audiência é extremamente fiel e, em geral, composta por adultos com uma boa renda salarial.

Pois é: a Netflix coleta vários dados de seus usuários. A questão já gerou polêmica, mas a empresa garante que eles não são vendidos a terceiros — serviriam apenas para sugestão e criação de conteúdo com base nos gostos do público. De toda forma, os dados agora são analisados pela Nielsen, uma empresa especializada. Mas atenção: esse levantamento diz respeito apenas aos usuários estadunidenses, ok?

A série criada por Liz Flahive e Carly Mensch é baseada em uma série dos anos 80. Na trama, acompanhamos um reality show que mostra as Gorgeous Ladies of Wrestling, ou seja, lutadoras de luta livre!

Entretanto, se engana quem achava que somente pessoas nostálgicas da versão original a acompanhavam. Segundo a Nielsen, 86% dos usuários que viram a série logo que ela foi lançada (os três primeiros dias) têm entre 18 e 49 anos, o que é uma faixa de idade jovem, mas nem tanto.

E outra: a média salarial de um espectador de GLOW é de US$ 6.680, ficando abaixo apenas de quem assiste a The Crown (US$ 7.016) e House of Cards (US$ 6.700).

Público de GLOW é leal

A série chegou a conquistar 1,3 milhão de espectadores estadunidenses logo que foi lançada, entre 29 de junho e 1º de julho. Embora expressiva, não é das maiores estreias: a segunda temporada de Stranger Things, por exemplo, arrastou 15,8 milhões de pessoas para a telinha! Até mesmo a segunda temporada de 13 Reasons Why foi maior: 6 milhões de usuários.

Mas isso não é uma preocupação para a Netflix: GLOW tem fãs leais, que podem não ver na estreia, mas acabam assistindo em algum momento. Isso é comum em várias produções: o primeiro mês pode ser fraco em termos de visualizações, mas o número vai crescendo a partir de então. Até porque 90% dos usuários acompanham o conteúdo original da plataforma regularmente.

A ideia da Netflix é chegar a mil títulos originais até o fim de 2018 — sendo que 470 ainda serão lançados até dezembro.

Este texto foi escrito por Verenna Klein via nexperts.