A atriz Scarlett Johansson (Vingadores) decidiu deixar a produção do filme Rub & Tug pouco mais de uma semana após sua escalação no papel de um homem transgênero ter causado uma grande polêmica na comunidade LGBTQ e artística. Os críticos alegavam que o papel devia ser interpretado por um ator transexual.

O filme contaria a história de Dante “Tex” Gill, um chefão do crime que usou seu salão de massagens como fachada para prostituição nos anos 70 e 80. Ele nasceu Lois Jean Gill, mas se identificava como um homem. Johansson publicou um comunicado por meio da revista Out Magazine para explicar sua decisão e se retratar pela forma como se pronunciou anteriormente:

"À luz das recentes questões éticas levantadas em torno da minha escalação como Dante Tex Gill, decidi respeitosamente cancelar minha participação no projeto. Nossa compreensão cultural das pessoas trans continua avançando, eu aprendi muito com a comunidade desde que fiz minha primeira declaração sobre o assunto e percebi que fui insensível. Tenho grande admiração e amor pela comunidade trans e agradeço que a conversa sobre inclusão em Hollywood continue. De acordo com a GLAAD, os personagens LGBTQ+ caíram 40% em 2017 em relação ao ano anterior, sem nenhuma representação de personagens trans em nenhum grande lançamento de estúdio. Embora eu tivesse adorado a oportunidade de trazer a história e a transição de Dante à vida, entendo por que muitos acham que ele deveria ser retratado por uma pessoa transexual e agradeço que esse debate, embora controverso, tenha provocado uma conversa mais ampla sobre diversidade e representação no cinema. Eu acredito que todos os artistas devem ser considerados de forma igual e justa. Minha produtora, a These Pictures, busca ativamente projetos que possam tanto entreter quanto ultrapassar fronteiras. Estamos ansiosos para trabalhar com todas as comunidades para levar essas histórias mais pungentes e importantes para o público em todo o mundo. ”

Rub and Tug será dirigido por Rupert Sanders, com que a atriz trabalhou em outro longa cercado de controvérsias. Em Ghost in the Shell, adaptação cinematográfica do mangá e anime japonês de sucesso, eles foram acusados do chamado whitewashing, quando um ator ou atriz branco faz o papel de um personagem de outra etnia. No caso, a atriz interpretava a protagonista, que muitos acharam devia ser oriental como o material original.

O Minha Série está comemorando 10 anos em 2018 com novidades aos nossos fãs: conheça o Clube Minha Série, o nosso perfil no Instagram e não deixe de assinar a newsletter Intervalo, que traz semanalmente conteúdos exclusivos em um formato especial.